Os Jornais Gratuitos de Diogo Hoffbauer

As pessoas devem manter-se informadas.
E eu sou uma pessoa que gosta de se manter ao corrente do que se passa aqui e ali. Pode acontecer dar-me uma vontade enorme de escrever neste espaço e depois não tenho sobre que falar. E hoje posso falar da minha maior fonte de informação: os jornais gratuitos.
São actualmente cinco os jornais gratuitos: Destak, Metro, Global, Meia-Hora e Sexta. É informação à pala, é isso é muito valioso. O facto de pagar por informação - já estando eu tão habituado a tê-la entregue na mão - já me é estranho. Quando me perguntaram se eu queria o jornal da escola, eu até gostava de ver o que lá estaria. Quando me disseram que teria de pagar, quase esmurrei o miúdo. Digamos que o comodismo dos jornais à borla estão-me a tornar uma pessoa sovina.
Muita gente se interroga se serão mesmo necessários tantos jornais gratuitos. Eu respondo que sim. E quem me dera ter vida para os conseguir ler a todos.
A primeira coisa que eu faço mal me sento no metro é abrir um dos jornais que tenho em minha possa. E a primeira página que abro é a da astrologia, que é uma arte que me fascina. Uma das vantagens de haver tantos jornais é que as previsões astrológicas são variadas. Isso intriga-me, já que as estrelas são as mesmas, as cartas são as mesmas, o alinhamento dos planetas é o mesmo, e ainda assim num jornal tudo isto junto diz-me que vou ter dores de barriga e o outro diz-me para tomar particular atenção ao coração. Só se as cartas forem como a poesia, todos lêm e cada um interpreta a sua maneira. E eu, usualmente, escolho o astrólogo que mais que convém nesse dia, que é normalmente aquele que diz "Amor - Precisa de mais afecto da pessoa que ama" («Vês paixão?...Preciso do teu afecto...»), "Saúde - Vai-se sentir preguiçoso e sonolento" («Ó stôra, são os astros que me põe assim, eu por mim até fazia o exercício») e "Dinheiro - Algumas dificuldades" («Posso pagar amanhã o café?»). Porque todas estas situações são - diga-se - frequentes no meu quotidiano.
Depois, passo para a secção meteorológica, ver o que o tempo me espera, que às vezes o clima é tramado.
Depois, "Desporto". Mais um golo do Cristiano Ronaldo, o Benfica quer contratar uma jovem promessa do Turquemenistão, o Quaresma fez birra, o Paulo Bento quer tranquilidade, o Scolari não quer bundas grandes, o Cardozo bateu com a cabeça num poste, o Benfica foi campeão. Calma! Exacto... "Benfica foi campeão regional de Badminton em juvenis femininos".
Depois, emociono-me dez vezes em jornais diferentes pela mesma enchente na Índia, pelos mesmos mortos no Iraque, pela mesma fronha da Ministra da Educação, que dá realmente pena.
Finalmente, a secção dos famosos, porque parece que a filha da Jessica Alba é na verdade do David Copperfield, que traiu o amigo Tony Parker ao ir para a cama com a Eva Longoria, que por sua vez parece que anda metida no alcool com a Briney, cuja prima se despiu para uma revista, muito lida pela vizinha da tia avó do Toy. É sempre bom saber.
Deixo o apelo: deviam haver mais jornais gratuitos.

Kommentare