As cruzes ao longo das estradas

São como sombras tristes, são como o outono.
Pode olhar-se para dentro das cruzes ao longo
das estradas, são como poços, são como filhos

perdidos. As cruzes ao longo das estradas estão
cobertas por flores de plástico, secas, desbotadas
pela luz que, nos campos, brinca com os rostos

e com a memória. Existem linhas traçadas entre
o céu e as cruzes ao longo das estradas, são elas
que seguram uma parte do mundo, só os pais são
capazes de as ver.

Agora, enquanto falamos de papagaios de papel,
elas estão lá, onde sempre estiveram.

As cruzes ao longo das estradas são diferentes
de nós porque se nós somos o vento e passamos,
as cruzes ao longo das estradas também são o vento,
mas há muito tempo para conseguiram chegar lá.

Kommentare

  1. Que poema tão bonito e tão triste, deixou-me com uma sensação de tristeza e nem sei explicar porquê. Se calhar é porque os meus filhos estão longe de casa há 3 semanas e eu já tenho saudades... Não estou habituada a que estejam tanto tempo longe de mim. Como já têm 17 anos, é melhor eu aproveitar o mais possível, porque o tempo passa depressa...

    AntwortenLöschen
  2. Para mim as cruzes sao associadas a fardos.
    A esta associaçao, junto uma outra.
    A minha mae disse-me um dia, quando rezava a noite, para nao pedir a Deus uma cruz leve, mas sim umas costas e envergadura fortes.

    É isso o que eu peço ainda hoje.
    Porque de cruzes estao as estradas e as vidas cheias.

    Rita

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen