Pioneira no ramo automobilístico?


Bonnie Elizabeth Parker não se tornou famosa no ramo automobilístico, Nina, no entanto, se tivesse nascido noutras circunstâncias, é provável, que hoje a conhecessemos como uma famosa escritora ou poetisa americana.
Ela era uma óptima aluna de inglês e com grande facilidade para a escrita; na escola, foi premiada várias vezes por escrever poesias e peças de teatro. Na adolescência, escreveu introduções de discursos para políticos locais.
Aos 18 anos, já tinha um casamento fracassado (casou-se aos 15 anos e em vez de sair da lama, entrou num lameiro, como diz o oops).
Em 1928 Bonnie conheceu Clyde na casa de uma amiga comum.
Clyde Chestnut Barrow ou Clyde Champion Barrow, como preferia apresentar-se, nasceu em Teleco, no Texas, em 1909, e começou a carreira criminosa roubando um perú, aos 16 anos. Logo seguiram-se os furtos em lojas, residências e o roubo de um carro.
O casal, que entrou para a história como "Bonnie & Clyde", ficou famoso na época da depressão económica por assaltar bancos e postos de gasolina.
A chamada Bloody Barrow Gang fazia tremer o comércio: sinónimo de brutalidade impiedosa, mas também vista como um sinal de revolta contra a miséria, em tempos de crise. Em 1932 houve o primeiro assassinato.
Os gangsters começaram a ser perseguidos por todo o território pela polícia norte-americana. Ficaram conhecidos não só pela carreira criminosa de gangsteres e talento para fugir da polícia, como também pelo romance entre os dois, que fascinou o mundo.
No dia 23 de maio de 1934, Bonnie e Clyde, os dois mais famosos criminosos norte-americanos, foram mortos num tiroteio com a polícia em Louisiana.
O Rui, a Teté e a Rosa dos Ventos (ainda é capaz de trautear a música) viram e gostaram do filme de 1967 sobre a vida dos dois amantes e assassinos, Bonnie e Clyde, realizado por Arthur Penn com Warren Beatty e Faye Dunaway, que foi um campeão de bilheteria indicado para dez Oscars, conquistou dois e tornou-se um dos filmes mais emblemáticos do novo cinema americano.
E a Sonhadora até os viu a assaltar as caixas do multibanco!

Kommentare

  1. (Oh não!... outra com uma infância miserável...)

    Casou-se aos 15 anos e em vez de sair da lama, entrou num lameiro!

    Parece que era como o que dizem que as mulheres se querem: media 1,50 m e pesava 41 kg...

    Ah... escreveu uns poemas na adolescência...

    ;)

    AntwortenLöschen
  2. Não é a Faye, que glorificou um tipo de comportamento não muito aceitável !
    Esta é a autêntica "caneta"! :))
    ... e era bem "tesa" ! rsrs
    .

    AntwortenLöschen
  3. E eu a julgar que tinha sido uma pioneira no ramo automobilístico!:))
    jinhos

    AntwortenLöschen
  4. Gostei muito do filme que imortalizou esta mulher e o seu companheiro e ainda sou capaz de trautear a música! :-))

    Abraço

    AntwortenLöschen
  5. (Eh lá... já houve quem desse com o dedo na perseguida mais rápido que no gatilho de um revólver...)

    ;)

    AntwortenLöschen
  6. Olha, só cá faltavam estes para ajudar a assaltar as caixas do multibanco!...

    AntwortenLöschen
  7. Não sabia dessa sua faceta, já vi o filme há muitos anos. Mas conhecia-a por outras "façanhas", evidentemente! :)

    Beijocas!

    AntwortenLöschen
  8. Muito engraçado, sr.oops!!!:)

    AntwortenLöschen
  9. Achei tanta piada "uma pioneira no ramo automobilístico" que resolvi mudar o título, só não tive tempo de te avisar do "roubo", Nina!

    Vim agora da festa (o aniversário de uma minha cunhada).
    Como estou muito cansada, completo amanhã este post.

    AntwortenLöschen
  10. Não sei se tinhas reparado na minha "expressão" : "Esta é a autêntica "caneta"!"
    Referia-me a "Parker" (marca de caneta e apelido da senhora).
    A identificação foi da própria Bonnie Parker e não da personagem !
    :)))

    Nota. Tinha lá um post de um alemão a falar aos portugueses sobre as sondagens. Claro que não, mas estava à espera de um esclarecimento sobre quem seria ele e o que estava a dizer de facto.

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen