CARNAVAL

O Carnaval, época anterior à Quaresma, conta já com tradição de milénios. Tanto na Roma antiga como na Grécia tinham lugar certos ritos e festejos que incluíam máscaras e grandes comesainas, cujo denominador comum era (e ainda é) a euforia. Diz a história que o Carnaval nasceu de tributos e cultos prestados a algumas divindades ligadas à fertilidade da terra. Como exemplo citamos Ìsis (deusa do Egipto) e Dionísio (deus grego). Assim, o seu símbolo é antes de mais a vida. Esta tradição mantém-se bastante viva aqui em Düsseldorf, Colónia e Mainz, chegando por vezes a atingir excessos de uso de bebidas alcoólicas em que as pessoas acabam por perder o controlo e, felizmente não a vida, como no Brasil por vezes acontece.

Kommentare

  1. E com a euforia carnavalesca nos despedimos do Inverno.

    Hoje estou económica nas palavras, Teresa. A cotovia está murcha, perdeu o pio. Tenho um trabalho para entregar que é mais chato do que arrumar a casa. Um artigo de opinião sobre a realidade escolar.

    Mas pagam bem:)

    Beijinhos
    Isabel

    AntwortenLöschen
  2. Oii,
    Meu nome é Bruna e trabalho na Edelman, agência de comunicação da Jorge Zahar Editor.
    Aproveitando o tema Carnaval, quero deixar uma dica da editora, o livro Almanaque do carnaval, escrito por André Diniz http://www.zahar.com.br/catalogo...id=1102&ORDEM=A, que fala da história dessa grandiosa festa e dá dicas sobre o que ler, ouvir e onde curtir. Se gostou, participe da promoção de carnaval da Zahar e concorra ao livro. Veja mais no site www.zahar.com.br
    Abraços!

    AntwortenLöschen
  3. Teresa vem a cotovia, estou super feliz.

    BONS FESTEJOS:)

    HELAU!

    Beijinho, beijinho
    Isabel

    AntwortenLöschen
  4. Olá Teresa...

    Queria fazer-lhe uma pergunta, se é permitido segundo a lei alemã obrigar com uma ameaça de cancelar um serviço pago e legal, pedir ás pessoas que mostrem e filmem o seu ecrã de computador (sem mandatos policiais).

    Tenho está duvida, e duvido que a lei alemã o aceite. Gostaria se possível e se não for um incomodo que me diga o artigo e o ponto onde diz isso.

    AntwortenLöschen
  5. Não fazia ideia que a tradição carnavalesca fosse tão antiga!

    Mas sabia que tinha a ver com a Páscoa, assim como período de folia antes da época séria e compenetrada que se segue...

    Continuação de bom Helau!

    AntwortenLöschen
  6. Há noventa anos, em 1919, Manuel Bandeira publicou o seu segundo livro de poesia, a que deu o título Carnaval. Nesta obra, que teve, na altura, uma edição reduzidíssima, constam já, bem nítidos, os ingredientes do modernismo poético, muito naturalmente ligado às origens gregas e latinas da literatura.
    No poema Bacanal, que abre o livro, celebra-se a liberdade (ou será a libertação?) de amarras racionais, sociais, artísticas... que todo o humano uma vez por outra ensaia…

    Quero beber! cantar asneiras
    No esto brutal das bebedeiras
    Que tudo emborca e faz em caco...
    Evoé Baco!

    Lá se me parte a alma levada
    No torvelim da mascarada.
    A gargalhar em doudo assomo...
    Evoé Momo!

    Lacem-na toda, multicores
    As serpentinas dos amores,
    Cobras de lívidos venenos...
    Evoé Venus!

    Se perguntarem: Que mais queres,
    Além de versos e mulheres?...
    - Vinhos!... o vinho que é meu fraco!...
    Evoé Baco!

    O alfanje rútilo da lua,
    Por degolar a nuca nua
    Que me alucina e que eu não domo!...
    Evoé Momo!

    A Lira etérea, a grande Lira!...
    Por que eu extático desfira
    Em seu louvor versos obscenos.
    Evoé Venus!

    AntwortenLöschen
  7. "Que ideia a de que no Carnaval as pessoas se mascaram.
    No Carnaval desmascaram-se ...!" de Vergílio Ferreira

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen