Cravo Vermelho ao Peito

Kommentare

  1. Quantas vezes ouvi esta canção!!!!!
    Estamos de cravo vermelho pendurado na memória.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Teresa Palmira Hoffbauer4/18/2024

      Ontem, recebi por @mail esta canção, que ficou logo minha favorita.
      Cravo Vermelho ao peito é uma crítica sem memória.

      Löschen
  2. Canções de protesto quem as não recorda??

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Ontem ouvi pela primeira vez esta canção de protesto contra os oportunistas de Cravo Vermelho ao Peito.

      Löschen
  3. José Barata Moura soube tirar partido de uma letra e música antigas, adaptando-as à Revolução dos cravos. Realmente, o espírito de Abril está hoje longe de ser o que foi na altura.
    Hoje, seja literal ou metaforicamente, qualquer filho da mãe põe o cravo vermelho ao peito e se arroga mais direitos que deveres.

    Quando era criança cantava em grupo uma cantiga semelhante na música e letra.
    Era assim:
    Rosa branca ao peito
    A todos fica bem
    Mas à menina Janita, olaré
    Fica melhor que a ninguém.

    O nome escolhido era sempre o da menina que queríamos expulsar da roda.
    ( Tinha escrito Teresa, mas mudei... porque era para sair e não para entrar...😃 )
    Boa escolha, para celebrar uma data e um mês que já traz muita controversa...e água no bico!
    Abraço , Teresa!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. E os cultores da sapiência
      Intelectuais de alto nível
      Tranquilizando a consciência
      O mais à esquerda possível
      Tranquilizando a consciência
      O mais à esquerda possível

      Conheci tantos intelectuais assim.

      Já naquela altura houve tanta gente com o Cravo Vermelho ao Peito sem convicção democrática, mas sim, por oportunismo. Aconteceu o mesmo na Alemanha no após guerra. Ninguém tinha apoiado Adolf Hitler, todos tinham combatido na resistência. O pior exemplo vem dos austríacos.

      O que eu não sabia é que os idosos não tinham a liberdade de ser idosos como nos diz o nosso querido amigo Rogério na sua última publicação: “… graças à revolução, os idosos passaram a ser gente...” A minha avó, esteja onde estiver, pede explicação. Após 50 anos, há afirmações falsas e até mesmo ridículas.
      Lê tu o que ele escreve, Janita, provavelmente não compreendi o sentido.

      Abraço-te nesta quinta-feira risonha a caminho de uma festa de anos 🌷

      Löschen
  4. Vivo com alegria estas lembranças e a aproximação dos 50 anos da nossa Liberdade!

    Abraço

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Teresa Palmira Hoffbauer4/18/2024

      Os cinquenta anos de história mostram a falta de densidade cultural da maioria dos cidadãos portugueses. O meu abraço não é de alegria 🌷

      Löschen
    2. Lamento mas sou uma optimista!

      Abraço

      Löschen
    3. Teresa Palmira Hoffbauer4/18/2024

      Viver de forma positiva é reconhecer a beleza da liberdade 🌷

      Löschen
  5. Cantei vezes sem conta esta canção do Zé Barata Moura :) Havia uma outra, salvo erro cantada pela Tonicha que também dava um belo bofetão nos oportunistas e que se chamava Os Novos Pobres.

    Abraço, Teresa!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Os oporunistas não estão interessados num relacionamento de qualidade, mas sim, em alcançar os seus objectivos com base em processos impróprios e sem princípios. Abraço numa tarde de Abril livre e risonha 🌷

      Löschen
  6. Ainda hoje sinto grande felicidade por ter sido derrubada a ditadura, embora as coisas estejam longe do que deveriam ser.

    Não me lembro desta canção , de tão certeira crítica.Lembro-me , claro, de Barata Moura.

    Viva Abril !

    Abraço amigo e democrático :)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Não conhecia esta canção, que logo me encantou pela realidade descrita.
      Abraço da amiga que ama a LIBERDADE, sem ideologias políticas 🌷

      Löschen
  7. Anonym4/18/2024

    Querida Teresinhamiga

    Feliz por te visitar de novo, ao fim de quase meio ano de ausência da minha casa e da blogosfera, já tive a oportunidade de postar n’«A Nossa Travessa» um texto que tentei fosse explicativo desses seis meses desgraçados. O bem maior que temos, a saúde, esteve, está e ainda estará por algum tempo na base desse pesadelo. Mas, tenho vindo a registar progressivas melhoras; óptimo!
    Mas como me mereces, pela Amizade que há muito mantemos, aqui estou a dar-te conta, pessoalmente, de que estou vivo e, felizmente, com o bestunto a funcionar. Espero agora que retomes as tuas visitas ao meu famigerado covil… Muito obrigado
    Kase & Kunsen
    Henrique
    _____________
    PS -Metido entre as paredes das Residências Montepio e preso numa cadeira de rodas, não posso ir para a rua comemorar o NOSSO 25 DE ABRIL; mas, comungando das ideias-mestras que estiveram na base do movimento glorioso estive, estou e estarei sempre com ele! A juntar a tudo isto, nunca me esquecerei que a «querida e prestimosa PIDE me partiu duas costelelas!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Meu querido amigo Henrique, tu não calculas a alegria que sinto em receber notícias tuas. Neste momento, estou com um pé fora de casa. Regresso amanhã e visito o teu espaço. Entretanto, abraço forte e solidário da amiga de sempre 🌷

      Löschen

Kommentar veröffentlichen

Beliebte Posts aus diesem Blog

“Canção Doce” de Leïla Slimani

The Guilty Party