MULHERES ARTISTAS 1400-1800



Olhar desafiador, ousado, domínio da técnica: No auto-retrato de Rosalba Carriera em giz vermelho de 1708, a artista levanta subtilmente a testa e as bochechas de branco e deixa o olhar vagar em duas direções ao mesmo tempo.

Com cerca de 90 obras, a exposição especial no Museu de Gravuras e Desenhos de Berlim ilumina a vida e obra de mulheres como Rosalba Carriera, Artemisia Gentileschi, Elisabetta Sirani, Diana Scultori, Isabella d'Este, Cristina da Suécia e outras, suas obras, destinos e enorme influência no mundo da arte do seu tempo estão agora parcialmente esquecidos.
A intenção não é apenas mostrar a sua arte, mas também, até onde se sabe, contar algo sobre as condições de vida dessas mulheres. Aborda-se a influência que o facto de ser mulher teve no seu papel no mundo das artes, se casaram e se tornaram mães, e que estratégias utilizaram para se afirmarem no mundo masculino, que era o mundo das artes no período em análise, de modo a que possível para nós é que vestígios da sua obra ainda podem ser encontrados na coleção do Kupferstichkabinett, que é a coleção especial de desenhos e estampas, não apenas de gravuras, de um museu. Por esse motivo, os termos alternativos de uma forma mais moderna, como „Graphische Sammlung“ ou „Graphisches Kabinett“ também são comuns. A expressão Gabinete deriva de um espaço menor dentro de um castelo, no qual um príncipe manteve as suas coleções especiais. Ele também foi chamado de „Wunderkammer“ ou „Kunstkabinett“. Essas coleções principescas eram precursoras dos museus públicos. Existem grandes armários de gravação de cobre, como os Museus do Estado em Berlim, o Louvre em Paris, a Albertina em Viena, o Museu Britânico em Londres e o Museu Metropolitano de Arte.

Kommentare

  1. Antworten
    1. Teresa Palmira Hoffbauer3/23/2023

      Berlim está a esclarecer o boato persistente de que quase não houve artistas mulheres nos últimos 600 anos‼️ Uma exposição a não perder‼️

      Löschen
  2. Porque afinal não são precisos movimentos feministas para as mulheres sobressaírem...

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Teresa Palmira Hoffbauer3/23/2023

      O papel diversificado e activo das mulheres no mundo da arte italiana antes de 1800 é tão relevante como o movimento feminista contemporâneo‼️

      Löschen
  3. Admiro as mulheres que, para além de ultrapassarem as barreiras de um mundo artístico dominado pelos homens, conseguiram produzir e mostrar o seu talento.
    Gostava de ver essa exposição.
    Continuação de boa semana, minha amiga Teresa.
    Um beijo.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Teresa Palmira Hoffbauer3/23/2023

      O comité jovem dos Museus Nacionais de Berlim, Achtet AlisMB, traz a perspectiva de uma geração mais jovem para o tema actual em várias intervenções na exposição e no catálogo.

      „Muse or Maker? Women in the Italian Art World 1400 — 1800“ tem curadoria de Dagmar Korbacher, directora do Kupferstichkabinett.

      Löschen

Kommentar veröffentlichen

Beliebte Posts aus diesem Blog

“Canção Doce” de Leïla Slimani

The Guilty Party