Dante Alighieri || Divina Comédia



A minha mente, que por impulso de amor corteja

sempre a minha Dama, estava desejosa mais que

nunca de volver a ela o olhar:

e os engodos que a natureza ou a arte
dão à vista, para render a mente,
em imagem de carne ou de pintura;


nada foram, unidos juntamente,

em confronto com a divina beleza,

que me resplandece dos olhos ridentes de Beatriz.


Dante Alighieri || Divina Comédia 
O Paraíso—Canto XXVII

Kommentare

  1. Antworten

    1. Durante toda a sua vida, Dante Alighieri carregará dentro de si a divina beleza de BEATRIZ a musa como a imagem da mulher que está acima de todas as outras mulheres.

      Löschen
  2. Dante Alighieri, “O poeta da esperança” como o Papa Francisco o considera.
    Quando fui a Filadélfia, vi uma escultura de Rodin – A Porta do Inferno – baseada na Divina Comédia no Museu de Arte de Filadélfia. Parece ter sido uma obra na qual Rodin trabalhou durante mais de 30 anos.
    Temos uma escola secundária chamada Dante Alighieri.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. A Divina Comédia, escrita entre 1307 e 1321, é uma das maiores obras literárias de todos os tempos. A famosa escultura O Pensador, de Auguste Rodin, foi originalmente batizada de Dante Pensando nas Portas do Inferno. Por sinal, Rodin fez uma escultura chamada justamente de As Portas do Inferno. Ao longo do tempo, A Divina Comédia foi ilustrada por Michelangelo, Gustave Doré, William Blake, Sandro Botticelli e Salvador Dali.

      Löschen
  3. Gostei bastante da publicação! 💙🌹
    .
    Desejo ler calmamente para quem não sente ...
    .
    Beijo, e um dia feliz.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Desejo que tenha lido calmamente O Paraíso—Canto XXVII e tenha sentido intensamente a sua BELEZA POÉTICA.

      Löschen
  4. Há dias, na RTP2 houve uma entrevista a um jovem poeta português que se baseou nesta obra de Dante para a reescrever.
    Achei muito interessante.

    Abraço

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. [Autor de livro sobre a "Divina Comédia", Armindo Trevisan defende atualidade da leitura do clássico de Dante que completa 700 anos.
      Professor, poeta e crítico de arte responde "nove perguntas dantescas" elaboradas pelo jornalista Nilson Souza e escreve texto sobre a "legibilidade" da "Divina Comédia" hoje]

      Referes-te a esta entrevista?!

      Löschen

Kommentar veröffentlichen

Beliebte Posts aus diesem Blog

Jo Nesbø: Ciúmes

Pinceladas selvagens