Michael Cunningham em Lisboa


No âmbito da sua estada nas Residências Internacionais de Escrita Fundação D. Luís I, o escritor Michael Cunningham dará uma Aula Aberta, no dia 2 de Julho, às 18h00, no auditório da Fundação Luso-Americana/FLAD (R. Sacramento à Lapa, 21), em Lisboa.

Nasceu a 6 de Novembro de 1952, na cidade de Nova Iorque. Cresceu e estudou em Cincinnati, no estado do Ohio, onde, com apenas quinze anos de idade, tomou a decisão de se tornar escritor, ao ler o romance Mrs. Dalloway, de Virginia Woolf, num volume que uma apaixonada o desafiara a ler. Diplomou-se em Literatura Inglesa pela Universidade de Stanford em 1975, e fez concluiu, em 1980, na Universidade do Iowa um mestrado em Belas Artes. Publicou o primeiro romance, Uma Casa no Fim do Mundo, em 1990, com reconhecimento imediato por parte da crítica e da Fundação Guggenheim, que lhe atribuiu uma bolsa no ano de 1993. Seguiu-se a escrita de Sangue do Meu Sangue (1995), romance em que o autor descreve os problemas da família Stassos, apresentando uma perspectiva original sobre as relações entre o passado e o futuro. Em 1998, publicou As Horas, obra em que presta homenagem ao romance que inspirou a sua carreira: Mrs. Dalloway. Com a acção narrativa repartida entre a Greenwich Village dos anos 1980, a Los Angeles da década de 1940 e a Londres de Virginia Woolf, o livro foi recebido pela crítica como um projecto ambicioso, mas bem sucedido, o que se confirmou com a atribuição dos prémios Pulitzer e Pen/Faulkner na categoria de Ficção. As Horas foi adaptado para cinema em 2002, com nomes como Nicole Kidman, Meryl Streep e Julianne Moore no elenco. Seguiram-se os romances Dias Exemplares (2005), Ao Cair da Noite (2010) e A Rainha da Neve (2014). Michael Cunningham vive em Nova Iorque.

Kommentare

  1. Vi o filme... não li o livro.
    (e por acaso é um dos filmes que tenho planeado rever ainda este mês)
    Mas tenho pena de não o ter lido porque há certas partes do filme que na altura não consegui entender bem e que provavelmente vou continuar sem entender quando agora o revir. Para uma melhor compreensão o ideal seria mesmo ir beber diretamente à fonte...

    Beijinhos a HORAS desacertadas
    (^^)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Confesso que naquela época, nem gostei de ler o romance, nem gostei de ver o filme‼
      A vinda a Lisboa do autor americano, provocou em mim, uma vontade de ler o livro e de ver o filme novamente. Ambos estão guardados numa das estantes.

      Beijos sem horas extras‼

      Löschen
  2. Não li o livro nem vi o filme. Por isso não digo mais nada

    Beijinhos

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Um simples olá, é precioso 💖
      Um americano em Lisboa, um gozo‼‼

      Löschen
  3. Não cheguei a ler “The Hours” da sua autoria, mas vi o filme baseado neste livro.
    Estive a ver na wikipédia os livros que escreveu... não me recordo de ter lido algum.
    Tantas vezes palmilhei a Rua do Sacramento à Lapa!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Como já disse à Clara, nem gostei do romance, nem do filme. Talvez fosse a minha paixão pela Virgínia Woolf, que me deixasse cega. Vou tentar outra vez‼‼

      Conheço mal Lisboa. Embora, fosse passar as férias de verão a casa dos meus tios paternos, ficáva pouco tempo na casa de Lisboa, seguiamos logo para a casa da praia.

      Löschen
  4. Nunca li o autor, mas tenho marcado, há anos, As horas como uma obra a comprar. Mrs Dalloway li e gostei que mostra a futilidade de uma certa elite social.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Mrs Dalloway é um clássico da Literatura Mundial 📑

      Löschen
  5. Uma ótima oportunidade para quem puder aproveitar :)
    Nunca li algo do autor, mas tenho curiosidade

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Michael Cunningham recebeu o Prémio Pulitzer pelo livro "As Horas"❗❗❗

      Löschen

  6. É nestes momentos que me sinto uma analfabeta, kkkk :))

    Hoje:-Castelos no ar...arco iris esplendoroso .

    Bjos
    Votos de uma óptima noite

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Se eu não tivesse nascido numa casa cheia de livros, não sabia quem era Virgínia Woolf e Michael Cunningham; era talvez uma famosa futebolista ❗❗❗

      Löschen
  7. Li o livro e vi o filme por esta ordem. Gostei de ambos. E ainda não tinha lido Virgínia Woolf. Não sei porque comprei o livro, mas há-de ter sido por fazer parte de alguma colecção de jornal, não me lembro de estar a escolhê-lo em algum lugar. Foi a única obra que li do autor.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. A minha grande admiração pela Virgínia Woolf, que em 1923 começa a escrever o seu romance "Mrs Dalloway", é que me levou a ler o livro de Michael Cunningham e ver o filme de Stephen Daldry❗❗❗

      Löschen
  8. Olá, Teresa !
    Michael Cunningham é um dos meus escritores favoritos, logo, li todos os seus romances (lamentavelmente alguns ainda não chegaram ao Rol).
    Destaco "Sangue do meu sangue", como um dos mais poderosos romance que li. Aconselho vivamente.
    Li "As horas" e vi o filme. Gostei ! Coisa rara pois normalmente não gosto dos filmes de livros que li. Valeu pelas excelentes interpretações.
    Beijo.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Vou procurar na biblioteca a versão original do romance "Sangue do meu sangue"📑

      Com um elenco de luxo: Meryl Streep, Julianne Moore, Ed Harris. Nicole Kidman até recebeu o Óscar de Melhor actriz com este filme.

      Löschen

Kommentar posten