Quantos rostos tem a verdade?


“Como se Donna Tartt, Gillian Flynn e Patrícia Highsmith tivessem escrito o argumento de um filme de Hitchcock — nostálgico e cheio de suspense.”
Joyce Carol Oates 

Contado a duas vozes, a das duas amigas, Lucy e Alice, colegas de quarto numa universidade norte-americana que se reencontram na cidade marroquina, após o hiato provocado por acontecimentos traumáticos. O encontro, contudo, antes de reatar a antiga amizade, conduz inapelavelmente para um novo trauma na vida de ambas.
“Ao Sol de Tânger” | Christine Mangan é thriller psicológico — um dos géneros mais populares do momento — possuidor de um suspense sempre crescente, mostrou-se uma leitura bastante voraz ao início, estimulante durante praticamente toda a trama, mas merecia uns capítulos finais mais vertiginosos. Apeteceu-me abanar a autora, fazê-la reescrever as últimas páginas, restabelecendo, por fim, uma reviravolta. Não há reviravoltas, não há aquela emoção final e quase não há acção. Ainda assim, é um romance interessante e que se lê com facilidade, embora Christine Mangan tenha desistido de arriscar em algo mais ousado, optando pela previsibilidade.

Direitos cinematográficos já adquiridos. 
Realização de George Clooney. 
Scarlett Johansson no papel principal.

Kommentare

  1. Sobre um tema semelhante, já tenho um post agendado.

    Falas que no filme há duas amigas Lucy e Alice, se uma delas é Scarlett Johansson, quem é a outra actriz, sabes?

    Parece e deve ser muito interessante, o filme.
    Boa semana, Teresa.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Não sei absolutamente nada acerca de um filme que não vi.
      Escrevo AQUI simplesmente a minha opinião sobre um livro que li.

      Boa noite, JANITA:-*

      Löschen
  2. Já tinha ouvido falar, mas nunca o li!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. O final é uma desilusão, exactamente como em A RAPARIGA NO COMBOIO.

      Löschen
  3. Não sei qual o rosto da verdade, mas esse da foto é muito sedutor.
    Do livro que não li...nada posso dizer. De "A rapariga no comboio" digo que foi o pior filme que vi (já comecei a ver filmes piores mas desisti antes da metade) e nem me lembro do final. O livro do mesmo filme, desconheço.
    Boa noite

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. O filme desconheço!!!
      Li o livro. Uma história de incerteza, de traição e de devassa.

      Löschen
  4. Já não me lembro se fiquei desiludida com "A Rapariga no comboio" mas lembro-me que foi uma leitura que me entusiasmou.
    Fiquei curiosa com este livro de que falas hoje!

    Abraço

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Não fiquei desiludida com a leitura de "A Rapariga no comboio"; fiquei desiludida com a previsibilidade do final.

      Löschen
  5. Não li e assim não sei se vou querer ler...talvez no filme mudem o final da história
    um beijinho e uma boa semana

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Caso no filme mudem o final da história, então é, pior a emenda do que o soneto!!!

      Um beijinho e uma boa semana também para si, Gábi.

      Löschen
  6. Antworten
    1. É simplesmente um projeto pelo qual o Pedro pode esperar eternamente:-*

      Löschen
  7. “Ao Sol de Tânger” | Christine Mangan - anotado!
    Não li "A rapariga no comboio" mas vi o filme. Não gostei!! Nem Emily Blunt o salvou.
    Beijo.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Vi o livro. Não vi o filme.
      Curiosa para ver o filme, embora eu não seja fã da Emily Blunt.
      BEIJO literário:-*

      Löschen
  8. Quantos rostos tem a verdade
    Difícil de dizer, certamente
    Porque dentro da lealdade
    Quantos rostos tem a gente
    .
    Pessoas colectivas, singulares
    Colectivas têm mais que um rosto
    Mas singular, se calhar
    Tem rosto de contragosto
    *
    Por isso eu digo sem vaidade
    Serei eu o rosto do demónio
    Porque confesso que na verdade
    Não há rosto como o de gil antónio
    ..........................
    Mais a sério: Gostava de ver esse filme mas não tenho tempo. Imaginam lá quanto me custa manter esta única verdade que é a verdade do meu rosto!? Dificil né ....

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Raramente comentas, mas quando o fazes é logo um poema cinco estrelas.
      Embora não conheça o teu rosto, gosto de ti, Gil António:-*

      Löschen

  9. Ah... este era o tal livro que estavas a ler e do qual nos falaste há dias.
    O filme... será de certeza interessante... e a adaptação para o cinema poderá até dar-lhe o tal "twist" que tu gostarias de ter visto no livro.
    Aguardemos por novidades de Hollywood 😊

    Beijinhos sentados
    (^^)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Comecei a ler o romance de estreia de Christine Mangan no terraço e, acabei de o ler de madrugada na cama.

      As adaptações de obras literárias são sempre uma desilusão, portanto, não aguardo novidades de Hollywood.

      Beijinhos deitados:-*

      Löschen

Kommentar veröffentlichen

Beliebte Posts aus diesem Blog

Jo Nesbø: Ciúmes

Pinceladas selvagens