Adeus Europa


«A ideia do filme é a ideia do exílio, estávamos focados em tudo o que lemos sobre o exílio e é interessante porque primeiro nunca pensámos no que aconteceu às pessoas que puderam sair da Europa e em fazer um filme passado naquela época, lidando com a Europa mas sem mostrar a Europa»

Maria Scrader • a realizadora

 Em 1934 o escritor austríaco, de origem judaica, Stefan Zweig (Josef Hader) previu o declínio da Europa precocemente e abandonou o seu país natal e vai para a América do Sul. Passando pelo Rio de Janeiro, Bahia, Buenos Aires, Nova York e Petrópolis, e apaixonado pelo Brasil, Stefan começa a escrever um livro sobre a nova terra. Ele se instala em Petrópolis, a cidade imperial, para escrever. Mas, ao mesmo tempo, ele fica atormentado com o crescimento da intolerância, barbárie e autoritarismo na Europa.
Um homem angustiado, que tenta encontrar uma nova pátria no novo mundo, nunca se adaptou ao exílio e acaba por se suicidar em 22 de Fevereiro de 1942.

Kommentare

  1. Um filme premonitório?
    Pelo que vamos vendo cimenta-se essa ideia.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Um filme premonitório? Possívelmente!!
      De qualquer modo o filme tem o seu valor ao apresentar um dos luminares intelectuais do século XX num período chave de nossa história.

      Löschen
  2. Zweig, um escritor que conheci no ano passado e de que retirei prazer. Ainda espero passar com ele uns bons tempos. Talvez veja esse filme se o descubra na net.
    Bom Dia:)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Descobri na biblioteca dos meus pais, a obra do autor judeu-austríaco Stefan Zweig, que li com prazer durante a minha adolescência. Depois de ver o filme, fiquei com curiosidade de ler Brasil, País do Futuro (Brasilien: Ein Land der Zukunft).

      "Vor der Morgenröte" (Antes do amanhecer) é o título original. O título em português "Adeus Europa" é uma forma de chamar atenção ao contexto recente e ao caos que tomou conta do Velho Mundo.

      Löschen

Kommentar posten