Carnaval


A brisa tem lamentos
Traz segredos
A rosa tem aromas
Traz magias
O campo tem silêncio
Traz poemas
O sonho tem momentos
Traz alguém

E tu que tens para mostrar?
Não sabes?
Repara bem...

Tens um corpo
Exposto à vontade dos abutres...
... Mais nada!

Kommentare

  1. O poema está sensacional. Foste tu que o escreveste, Teresa?
    Continuação de óptimo domingo de Carnaval.

    Um abraço.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. ESCREVER para esquecer recordações menos agradáveis do carnaval alemão.

      Abraços amigos 😘

      Löschen
  2. Muito bom! Duro e certeiro. Gostei.

    Bom Carnaval!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Infelizmente, uma verdade dura e crua.

      Abraços amigos 😘

      Löschen
  3. Teresa
    Nossos corpos
    expostos
    à vontade dos abutres
    e mais nada?

    Mas se tais aves de rapina
    só devoram carne putrefacta
    tens a chance

    mascara-te de eternidade
    e não há abutre que te trague

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. A máscara de eternidade livrou-me de todos os abutres, meu querido poeta 😘

      Löschen
  4. Na verdade, com ou sem carnaval, o corpo é tudo que temos. O resto são bens voláteis e por demais efémeros ainda que possam proteger-nos, alindar-nos, dar-nos guarida a necessidades e garridice ou outros items menos graciosos. O corpo é a morada do eu e só nos abandona quando tudo se dissolve. O que os abutres comem é carne morta. Enquanto viva, é de respeitar, proteger e amar. E também de oferecer, se for o caso. É bem pessoal de valor incalculável.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Os abutres que usei como metáfora só gostam de carne fresca.

      Löschen
  5. Por aqui preparamos a chegado do Ano Novo Lunar (Ano do Cão).
    Boa semana

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Dois familiares alemães são do signo zodíaco chinês do cão, portanto, também vamos festejar o Ano do Cão cá por estas bandas 🐕

      Löschen

Kommentar posten