BONECOS DE SANTO ALEIXO

Com uma história que remonta ao séc. XIX, estes títeres tradicionais do Alentejo parecem ter tido a sua origem na aldeia que lhes deu o nome. Bonecos de varão, são manipulados por cima, à semelhança das grandes marionetas do Sul de Itália e do Norte da Europa, mas de dimensão mais reduzida. No repertório dos espectáculos dos Bonecos de Santo Aleixo podemos encontrar peças de teor maioritariamente religioso, assim como textos e canções que pertencem à chamada literatura de cordel, numa fusão produtiva entre a cultura popular e a escrita erudita. Legado recuperado em finais dos anos 1960 por Michel Giacometti e Henrique Delgado, os Bonecos de Santo Aleixo seriam posteriormente adquiridos pelo Centro Dramático de Évora, que através dos seus actores profissionais assegura a continuidade desta expressão artística alentejana.

autoria Tradição Popular
interpretação Ana Meira, Gil Salgueiro Nave, Isabel Bilou, José Russo, Victor Zambujo
acompanhamento musical (guitarra portuguesa) Gil Salgueiro Nave
produção CENDREV – Centro Dramático de Évora (Portugal)
duração aproximada [1:10]
classificação etária M/12 anos

Kommentare

Beliebte Posts aus diesem Blog

Jo Nesbø: Ciúmes

Pinceladas selvagens