O dia 16 de Junho é o dia de Bloom

Um dia na vida do senhor flores (Leopold Bloom).
A primeira edição do Ulisses foi publicada em 1922, por uma pequena livraria-editora de Paris, a Shakespeare and Company, da poetisa Sylvia Beach.
Uma verdadeira saga a edição desse livro que precisaria sair no dia do aniversário de Joyce, um aquariano obcecado pelas datas e números.
Ulisses é uma epopéia moderna, considerado o maior romance moderno.
A estrutura do livro é composta de 18 capítulos, ou melhor, episódios.
O Ulisses de Joyce acompanha a Odisséia Clássica, tanto no tema quanto na forma, e o significado dos personagens e incidentes têm correspondência com o romance de Homero, iniciador da literatura ocidental.
Leopold Bloom é Ulisses e Stephanus Dedalus é Telémaco, um poeta-artista jesuíta que sofre de consciência pesada por não ter atendido ao pedido de sua mãe para rezar quando ela se encontrava no leito-de-morte. Penélope é a mulher de Leopold Bloom, que no romance recebe o nome de Molly Bloom.
Os dezoito capítulos podem ser assim nominados numa correspondência com a Odisséia, de Homero. Telemachia: 1-Telémaco, 2-Nestor, 3-Proteu; a Odisseia: 4-Calipso, 5-Os lotófagos, 6- O Hades, 7-Éolo, 8- Os Lestrigões, 9- Cila e Caribdes, 10-Rochedos Errantes, 11- As sereias, 12-Ciclope, 13- Nausícaa, 14-Os bois do Sol, 15-Circe; Nostos: 16-Eumeu, 17-Ítaca e 18-Penélope.
O jovem Stephen sai da torre do Martelo onde mora com dois colega, vai dar uma aula e depois passa na redacção do jornal e segue vagueando pela cidade meditando e filosofando num fluxo de consciência: agora. Aí todo o tempo sem ti: e sempre o será, mundo sem fim...
Leopold Bloom é um agente de publicidade, e sai de casa após levar o pequeno-almoço à sua mulher que ainda está na cama.
O Ulisses de Joyce é um homem de meia idade, judeu dublinense, angariador de anúncios e chifrudo. Stephen Dedalus-Telémaco, é um filho à procura de um pai ou destino, e Bloom o pai que vê em Stephen a possibilidade de preencher o vazio deixado pela morte prematura do filho.
Stephen é o alter-ego do Joyce jovem. Uma mente brilhante povoada de imagens poéticas, de recordações de leituras e abstrações fragmentárias.
Bloom fala através de clichés, numa linguagem prosaica que jorra em todas as direcções. Enquanto Bloom almoça, observa duas moscas copulando, e lembra dos seus primeiros encontros com a sua esposa: Ela me beijou. E eu fui beijado. Entregando-se, acariciava seus cabelo. Beijou, ela me beijou. Eu, e eu agora.
Esse "stream of consciosness" é uma das características marcantes de Joyce. As personagens joyceanas pensam sem cessar.
Para Stephen, a arte possui dimensões moral e social. Só a beleza é imortal:
- As frias estátuas da arquitetura grega oferecem refúgio temporário a um passado e presente igualmente insuportáveis...
No final, Ulisses retorna a casa (Ítaca) e encontra Penélope na cama. A mulhervaginabismo onde o homem se perde e jamais retorna. Ítaca distante e labiríntica.
O romance encerra com um pungente monólogo de Molly Bloom:
Yes, I said yes I will Yes oui jái dit oui je veux bien. SIM EU QUERO SIMS.

Kommentare

  1. Tentei lê-lo há muitos anos e não percebi patavina, pelo que desisti! (há quem diga que algumas traduções em português estão muito mal feitas, não sei se terá sido por isso...)

    Mas quando falaste em Bloom, pensei que era o Orlando. E desse gosto muito... :)))

    Beijocas!

    AntwortenLöschen
  2. Só masoquistas-literários (como eu) conseguem ler ao até ao fim o Ulisses de James Joyce.

    Uma sugestão: lê o monólogo de Molly Bloom, que é uma pérola da literatura mundial

    AntwortenLöschen

Kommentar posten