UMA ADVOGADA COMO MANDA A LEI! ♥♥♥


Decorria um julgamento por homicídio, com tribunal de júri. Havia fortes evidências sobre a culpa do arguido, mas o cadáver não existia. Quase no final das alegações finais, a advogada, temerosa que o seu cliente fosse condenado, recorreu a um truque:
— Senhoras e senhores do júri, eu tenho uma surpresa para todos, disse a advogada, olhando para o seu relógio.
— Dentro de um minuto, a pessoa presumivelmente assassinada neste caso, vai entrar neste tribunal.
E olhou para a porta. Os jurados, surpresos, também ansiosos, ficaram olhando para a porta. Um minuto passou. Nada aconteceu.
A advogada, então, completou:
— Realmente, eu falei e todos olharam com expectativa. Portanto, ficou claro que têm dúvida, neste caso, se alguém realmente foi morto. Por isso insisto para que considerem o meu cliente inocente
Os jurados, visivelmente surpresos, retiraram-se para a decisão final. Alguns minutos depois, o júri voltou e pronunciou o veredicto:
— Culpado!
— Mas como? perguntou a advogada.
— Todos estavam em dúvida, eu vi como olharam fixamente para a porta!
E o juiz esclareceu:
— Sim, todos nós olhámos para a porta, mas o seu cliente não.

Moral da história:
Não basta ser uma boa advogada, o cliente tem de colaborar!

Kommentare

  1. E este juiz, não é português pois não?

    AntwortenLöschen
  2. Ahahah, o réu não tinha dúvidas... :)))

    Bom fim de semana, Teresa!

    AntwortenLöschen
  3. lol ... pois é ... O truque na verdade podia dar para os dois lados. O curioso é que depois disto se o caso fosse nos estados Unidos muito possivelmente o réu ainda iria processar a advogada por incompetência ...

    AntwortenLöschen
  4. Advogada nota 10, cliente burro, dá nisso, kkkkkkk!!

    Como é que dizem por aqui? É preferível um inimigo inteligente do que um amigo burro? Acho que é isso!

    AntwortenLöschen
  5. Olá!

    Voltei pra perguntar: como eu faço pra comentar nos seus outros blogs?
    Gostei muito do último texto em "Câmara Azul" - duas mulheres especiais...
    Assim como você!

    Beijo

    Carla

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen

Beliebte Posts aus diesem Blog

Jo Nesbø: Ciúmes

Pinceladas selvagens