Escuto o silêncio da noite —

O silêncio da noite
embala de mansinho
o meu sonho de infância

O silêncio da noite
inunde com ternura
o mel dos meus cabelos

O silêncio da noite
baila com velhas lágrimas
nos meus olhos de menina

Quase feliz

escuto o silêncio da noite —

Kommentare

  1. Que poesia linda! É sua? Beijo

    AntwortenLöschen
  2. Claro que fui eu que escrevi o poema, meu caro tossan, caso contrário, tinha mencionado o nome do autor ou da autora.

    AntwortenLöschen
  3. Sim!
    Escute-se
    essa ausência de ruído,
    melodias de silencio,
    que a noite nos trás.
    Sussurrem
    para permitir ouvir todos
    mesmo os que caminham atrás...

    Escute-se
    essa ausência de formas,
    pinceladas de penumbra,
    que a noite nos dá.
    Semicerrem os olhos,
    confirmem que a tristeza não está!

    Silêncios e sombras,
    numa espera ansiada
    (sem ansiedade)
    que nasça a alvorada!
    Faça-se plena e felicidade!

    (se possível, no raiar da próxima aurora)

    Hoje assino:

    "Uma pessoa que gosta de Teresas"

    AntwortenLöschen
  4. Este poema não é duma pessoa quase feliz, mas sim d'alguém bem feliz!
    Bj

    AntwortenLöschen
  5. Pois eu vim em busca da Alda Lara como referira no Geocrusoe, mas encontrei outra bela prenda

    AntwortenLöschen
  6. Sra Ematejoca o seu comentario veio parar ao meu messenger,atavez da dona Redonda,esse comentario é para mim ou para a dona Redonda? não intendi!

    AntwortenLöschen
  7. doçura mel, e sal de olhos,
    nascente pura de novas e velhas lágrimas duma infância,
    inocência,
    feliz no quase,
    embalo das ternuras
    de quem foi escutando
    silêncios e vivendo
    sussuros dos sonhos
    que se transformam,
    em vida,
    traquejos, caminhadas
    assim contadas
    que confortam
    e assim sendo
    para sempre moram
    dentro de nós

    Kandandos meus

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen

Beliebte Posts aus diesem Blog

Jo Nesbø: Ciúmes

Pinceladas selvagens