BALADA DA NEVE de Augusto Gil

Batem leve, levemente,
Como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
E a chuva não bate assim.

É talvez a ventania:
Mas há pouco, há poucochinho,
Nem uma agulha bulia
Na quieta melancolia
Dos pinheiros do caminho...

Quem bate, assim, levemente,
Com tão estranha leveza,
Que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, nem é gente,
Nem é vento com certeza.

Fui ver. A neve caía
Do azul cinzento do céu,
Branca e leve, branca e fria...
-Há quanto tempo a não via!
E que saudades, Deus meu!

Olho-a através da vidraça.
Pôs tudo da cor do linho,
Passa gente e, quando passa,
Os passos imprime e traça
Na brancura do caminho...

Fico olhando esses sinais
Da pobre gente que avança,
E noto, por entre os mais,
Os traços miniaturais
Duns pezitos de criança...

E descalcinhos, doridos...
A neve deixa inda vê-los,
Primeiro, bem definidos,
Depois, em sulcos compridos,
Porque não podia erguê-los!...

Que quem já é pecador
Sofra tormentos, enfim!
Mas as crianças, Senhor,
Porque lhes dais tanta dor?!...
Porque padecem assim?!...

E uma infinita tristeza,
Uma funda turbação
Entra em mim, fica em mim presa.
Cai neve na Natureza
- e cai no meu coração.

Kommentare

  1. NEVE E MELANCOLIA

    Bom-dia Teresa

    Acabei de acordar, a primeira coisa que faço é ligar o computador.Este poema foi o primeiro que eu decorei quando tinha 7 anos.

    Volto logo.
    Do Porto só posso enviar um céu escuro e emborrascado, até já e beijinho
    Isabel

    AntwortenLöschen
  2. Decorei este poema devia ter uns 11anos e declamava-o muitas vezes. Quando chegava a quadra:

    .....
    Fico olhando esses sinais
    Da pobre gente que avança,
    E noto, por entre os mais,
    Os traços miniaturais
    Duns pezitos de criança...
    .....

    As lágrimas escorriam-me pelas faces. Ainda hoje gosto muito deste poema, e ontem pelo caminho do teatro para casa, com um Düsseldorf coberto de neve,
    comecei a recitá-lo baixinho...

    AntwortenLöschen
  3. muito bonito. beijos, pedrita

    AntwortenLöschen
  4. Olá Teresa!
    A tua amiga está a iniciar-se na Internet com muitas dificuldades, mas devagar se vai ao longe...
    Saudações amigas. Beijinhos,
    Beatriz

    AntwortenLöschen
  5. Tambéu já soube este poema de cor! Tempos em que os professores faziam os alunos decorar poemas... que bom treino para a memória! E que bem que este poema fica com a fotografia da cidade coberta de branco.

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen

Beliebte Posts aus diesem Blog

O que ando a ler?