JOANA EM BRÜHL


Fui a Brühl ver MAXiMAL, de Joana Vasconcelos.
Gostei muito.
Quem me acompanhou, também gostou.

Kommentare

  1. Já disse que o gosto pela arte de Joana Vasconcelos é um gosto adquirido. Estou mesmo a começar a apreciar a sua criatividade. Por agora, apenas através da net. Talvez ela venha um dia a Toronto.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Catarina, eu NUNCA pensei que me apaixonava de tal maneira pelos trabalhos da Joana ao vê-los ao vivo. Tenciono voltar novamente a Brühl sozinha. Quero ficar horas a ver rodar o coração de Viana. Ainda estou com vertigens!!!

      Não posso perder a exposição em SERRALVES, que vai até ao dia 24 de Junho.

      Löschen
  2. Como eu gostava de estar a 3h e tal de voo de Lisboa!! Até daria para ir durante os fins de semana prolongados.
    Cheguei a ir a Lisboa durante fins de semana prolongados, mas era mais nova, tinha mais energia, o horário não me afetava tanto e o preço das viagens eram praticamente “de borla” : )
    : )

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Dar um salto até ao Porto só para ver a exposição de JOANA VASCONCELOS, em Serralves, é um acto de loucura:-*

      Löschen
  3. Ora aqui está um sapato que sem dúvida me serve:)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. AQUI está um sapato majestoso que só serve a uma mulher absolutamente especial!!!

      Löschen
  4. Já por aqui passou.
    Polémica q.b.

    AntwortenLöschen
  5. Quem vê o sapato só vê o sapato, ou vê também o pé que não está lá?

    AntwortenLöschen
  6. Quem será a Cinderela deste sapato? :)) Boa tarde alegria. :))

    Hoje :- Sinto o perfume no ar numa distância atroz

    Bjos
    Votos de uma óptima Quarta - Feira

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. As cinderelas são mulheres que dependem de um príncipe para serem felizes. Só uma mulher independente e poderosa merece este sapato majestoso, brilhante, maravilhoso.

      Desejo-te um resto do dia perfumado como o corpo do teu amado:-*

      Löschen
  7. Queridos leitores,
    convidamos-vos a ler o capítulo final do nosso conto escrito a várias mãos "Ecos de Mentes".
    https://contospartilhados.blogspot.com/2019/05/ecos-de-mentes-capitulo-14-final.html

    Bem hajam por todo o vosso acompanhamento e comentários.
    Saudações literárias!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Saudações cordiais de Düsseldorf, agradecendo o convite literário:-*

      Löschen
  8. Posso falar sinceramente? Mas mesmo sinceramente? ok então.
    Uma boa hipótese de eu "gozar" umas férias... era calçar uns sapatos assim.
    Reservava logo uma cama no hospital, lol
    .
    Felicidades

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. É um sapato gigante com 3 metros de altura.
      Cabe lá o teu corpo inteiro, Nuno Filipe.
      É verdadeiramente gratificante encontrar o sapato da CARMEN MIRANDA, no centro da sala principal do museu, perto do famoso Capricorne de MAX ERNST.

      Beijinhos perfumados:-*

      Löschen
  9. Antworten
    1. Maravilha é, sem dúvida, o meu encontro com a Joana no museu de Max Ernst!!!

      Löschen
  10. Apesar de admirar a criatividade da Joana Vasconcelos, tenho de admitir que ainda não consegui gostar muito das suas obras... Mas ainda bem que gostou da exposição! Se fosse em Lisboa, eu certamente também iria visitar! :)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. A Joana Grilo toca exactamente no ponto crucial da obra da JOANA VASCONCELOS: a sua CRIATIVIDADE!!!

      Löschen
  11. Escrevi, assim

    Cada regime tem os seus nomes sagrados...
    Na ironia despejada na espuma dos dias,
    no desencanto de um orçamento
    que não dá à cultura nem sequer um por cento,
    esperar que a arte irrompa com pompa
    não é uma boa espera.
    Mas se não é o que merecemos
    é o que temos.
    E é grande
    mede 7 metros


    https://conversavinagrada.blogspot.com/2019/02/joana-de-vasconcelos-obra-obrada-arte.html

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. No dia 19 de Fevereiro de 2019 comentei:

      "Sobre a Joana Vasconcelos pouco posso dizer, daí o interesse de conhecer a sua obra em Serralves quando visitar a cidade invicta"

      ADOREI ver os trabalhos da Joana Vasconcelos ao vivo e, penso mesmo, dar um pulo ao Porto para não perder a exposição de Serralves. Como também vou voltar à exposição em Brühl.

      Um dos trabalhos da Joana, lembra um poema da Sophia.

      Löschen

Kommentar veröffentlichen