PORTUGAL na Feira do Livro de Leipzig


Pela quarta vez consecutiva Portugal participa na Feira do Livro de Leipzig com um programa de leituras no qaul colaboram, entre outros, os escritores Afonso Cruz, Margarida de Carvalho, Joana Bértholo e Valério Romao.
Os poetas — João Luís Barreto, Raquel Nobre Guerra, que este ano verá publicada a sua primeira edição alemã, e Luís Filipe Castro Mendes, a convite da editora Leipziger Literaturverlag, que apresenta uma edição bilingue do ex-ministro da Cultura — são também convidados. Integram igualmente o programa literário os autores moçambicanos Lucílio Manjate e Mbate Pedro e, ainda, o nome maior da literatura luso-angolana, José Eduardo Agualusa.
No primeiro dia da Feira, 21 de março, está reservada uma sessão sobre o projeto "Portugal País Convidado de Honra da Feira do Livro de Leipzig 2021", que inclui o lançamento da 2ª edição do Jornal de Letras em alemão e, ainda, a apresentação pública do Programa Especial de Apoio à Tradução e Edição, promovido pelo Camões — Instituto da Cooperação e da Língua e pela Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB). No stand nacional, estarão disponíveis mais de 300 títulos de literatura de língua portuguesa, em edições portuguesas e alemãs.

Kommentare

  1. Belo programa!
    Também houve uma Feira de Vinhos aí onde vives com um boa representação nossa!

    Abraço

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Nem soube de uma Feira de Vinhos 🍷 aqui onde vivo, mas também não me interessava absolutamente nada.

      Löschen
  2. Não sabia que Portugal participa na feira do livro em Leipzig, acho óptimo, é uma forma de dar a conhecer a literatura e os autores portugueses

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Estivemos presentes a primeira vez, em 2016, com quatro autores, a Hélia Correia, o João Tordo, o David Machado e a Alexandra Lucas Coelho. A literatura portuguesa continua uma ilustre desconhecida, mesmo no meio intelectual alemão.

      Löschen
    2. É uma pena que a nossa riquíssima literatura seja desconhecida na Alemanha. Cabe a cada um de nós contrariar essa tendência.
      Bom fim-de-semana
      :)

      Löschen
    3. Concordo contigo absolutamente, JLynce.

      Já agora, diz-me o que fazer para que os meus amigos se interessem pela literatura portuguesa. O único romance que lemos no Círculo Literário foi CAIM de José Saramago.

      Löschen
  3. Fico muito orgulhosa por estarmos em Leipzig. Bastante. Mesmo.

    AntwortenLöschen
  4. Um excelente programa!!
    O último escritor português que cumprimentei durante o lançamento do seu livro foi Mia Couto quando esteve em Toronto.
    Recebo este tipo de informações através do Consulado ou da Universidade de Toronto, mas nem sempre assisto. Ou porque não conheço os participantes (e seria uma forma de os conhecer), ou porque é num horário que não é conveniente ou porque não quero deslocar-me à Baixa da cidade.

    A literatura e a gastronomia portuguesas merecem uma posição de relevo, mas ainda não alcançaram o pedestal que merecem.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Nunca li nada de Mia Couto, embora tenha vários livros dele na estante.

      Também recebo todos os tipos de informação cultural, mas nem sempre posso estar presente. Nunca consegui realizar o sonho de visitar as Feiras do Livro de Frankfurt am Main e Leipzig.

      Concordo que a gastronomia portuguesa é excelente, embora uma familiar alemã diga que a nossa cozinha é pobre. Ela é adepta absoluta da cozinha italiana. Cozinha, que eu gosto pouco. Então, prefiro a cozinha alemã.

      Löschen
  5. Ah! Eu teria gostado de ir à Feira dos Vinhos embora seja apenas uma “social drinker”. : ))

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Se fosse um Festival de Cerveja, tinha estado presente!!!

      Löschen
  6. Muito bem. Olha eu falo TODAS as línguas, excepto...Chinês
    Para mim falar alemão é ...chinês, lol

    Mais a sério: Que seja um evento nobre

    Um abracinho assim muito apertadinho de um benfiquista.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. A língua alemã não é fácil, mas a língua chinesa é, para nós europeus, ainda mais difícil.

      É um acontecimento literário que tem prestígio e influência.

      A maioria dos meus amigos virtuais são benfiquistas, mas não conheço nenhum benfiquista na vida real, daí não saber como é um abracinho muito apertadinho de um benfiquista.

      Löschen
  7. Antworten
    1. Como não estou presente, não posso dar a minha opinião sobre o programa.

      Löschen
  8. Portugal bem merece participar nestes eventos literários internacionais.
    Temos os melhores escritores da Europa e Americas, do Norte e Latina.
    Não vejo porque não haveria de ser assim...
    Folgo ver tantos jovens interessados nessa Feira do Livro.
    O escritor Afonso Cruz, escreve - ou escrevia - crónicas brilhantes no suplemento semanal do DN.
    Um abraço, Teresa.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Nunca li nenhum livro do Afonso Cruz, nem mesmo as suas crónicas. Também é autor de livros para crianças, mas esses, ainda me interessam menos.

      Já agora fiquei com curiosidade em saber, que autores representam o Brasil este ano.

      Continuação de boas leituras, querida JANITA 🌷🌻

      Löschen
  9. Tudo o que seja divulgação do País é boa notícia.
    Bfds

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Concordo com o Pedro, no entanto, mesmo sem a participação de Portugal, as Feiras do Livro de Frankfurt am Main e Leipzig, são feiras literárias de enorme importância.

      Löschen
  10. Portugal está presente, pela primeira vez, na secção de literatura infantojuvenil com os autores Afonso Cruz e Joana Bértholo.
    Este género literário tem uma das maiores quotas de mercado na Alemanha no setor literário.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Realmente, livros para crianças em português estreiam-se na Feira do Livro de Leipzig. Não mencionei esse acontecimento, porque a secção de literatura infantojuvenil não me interessa.

      Outra novidade deste ano, que também não mencionei, foi a conversa entre editores, que vão discutir as diferenças do trabalho de edição na Alemanha, Suíça, Moçambique e Portugal, neste último caso, pela voz de Zeferino Coelho, editor da Caminho.

      Löschen

Kommentar veröffentlichen