Não me afrontes com a tua felicidade, Teresa!


Hoje, encontrei-me com uma das minhas melhores amigas para o café da tarde, na cidade velha. Ela abraçou-me, perguntado como eu estava. 
Respondi que estava de boa forma física e emocional.
Com um olhar de reprovação, disse secamente: 
— Não me afrontes com a tua felicidade, Teresa!
Sem dar palavra, fiquei com os pés pregados no chão.
Há dias, quando disse a uma familiar que me sentia bem comigo mesma.
Com um tom agressivo, respondeu-me: 
E quem é que te perguntou como te sentes?
A maneira positiva como encaro a minha vida, pelos vistos, irrita muita gente.

Kommentare

  1. Se fossem homens, diria que não se dão bem com o sucesso das mulheres, sendo mulheres só pode ser inveja. De qualquer modo atitudes dignas de divã. Boa noite.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Bem-vindo, Joaquim Ramos!

      A minha amiga não tem razões para inveja. Ela é engenheira. Profissionalmente, tem maior sucesso do eu; emocionalmente, tenho eu melhores cartas.

      Löschen
  2. hummm...houve tempos em que chegava ao emprego a rir e quase me sentia mal pela boa disposição. Não sei se estou bem comigo mesma, penso é que tenho de puxar pelo melhor, os outros não têm culpa do que me corre mal e andar mal disposta não me facilita a vida. E no entanto, por vezes, passo-me e fico triste e mal disposta.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Durante os meses escuros, frios, tristes do inverno alemão sinto uma certa melancolia, mas não significa que me sinta infeliz. Não tenho razões para isso. A vida é benevolente comigo.

      Löschen
  3. Costuma dizer-se que é nos piores momentos que vemos quem são os nossos verdadeiros amigos, mas acho que isso também acontece quando estamos com a nossa felicidade no auge. Parece que há pessoas que só estão bem se os outros não estiverem melhor do que elas

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Posso contar com a minha amiga nos piores momentos. O que a irrita é a minha visão positiva da vida. Uma visão que ela considera egoísta.

      Löschen
  4. Olha que, situações como essa já se têm passado comigo.
    E isso porquê ?... Eu, por natureza e feitio, sou considerado "um optimista" e sinto-me sempre "positivista" .
    Eu acho que as coisas são o que são e como são e há que entendê-las como tal , procurando entendê-las e relevar aquilo que nos possa agradar menos, não as valorizando e muito menos criticá-las acintosamente e noutros casos, procurando sempre ser conciliador !
    E realmente, é habitual eu dizer que me sinto muito bem ! :))
    Ora isso, por vezes, chega a provocar risos incrédulos, ou sorrisos desconfiados , porque "as pessoas" , por norma, estão habituadas a queixar-se por isto ou por aquilo e de um modo quase geral não se sentem bem consigo mesmas, quanto a mim, sem qualquer motivo !
    :))

    Beijinhos, Teresa :) ... e adoro que te sintas bem e feliz !!! :)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Não sou uma optimista eterna. Hoje, por exemplo, estou absolutamente com a telha. Durante o meu passeio matinal por Kaiserswerth apanhei uma chuva tipo neve e estou agora com dores de garganta. Portanto, em vez de ir ao cinema ou visitar uma exposição sou obrigada a ficar em casa, tomando chá de gengibre.

      Adoro que tu sejas por natureza um homem conciliador, bem humorado, um amor de amigo. Beijinho 😘 da Te

      Löschen
  5. Que reacções mais estranhas!
    Os nossos amigos e familiares devem estar connosco em qualquer situação, nos bons e nos maus momentos!

    Abraço

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Não são reacções estranhas. Os alemães dizem sempre o que pensam.
      A minha amiga prefere estar comigo nos maus momentos.
      É legítimo que ela se irrite com a minha habitual boa disposição.
      A frase da minha familiar alemã foi mais uma brincadeira.

      Löschen
  6. Uma vez vi uma filósofa, não recordo o nome, dizendo que nada é mais invejável do que a felicidade. As pessoas invejam coisas, em geral, porque coisas adquiridas por uns causam inveja em outros, mas quando elas encontram alguém feliz, genuinamente, e não apenas aparentemente (porque também há muita gente que gosta apenas de aparentar algo, seja lá o que for), isso pode ser incômodo para quem está em algum limbo existencial. Concordo com a Hilda Hilst quando disse que "o humor (o bom humor) é uma das coisas que mais admiro em alguém", ou como escreveu o Caetano em uma música: "respeito muito minhas lágrimas, mas ainda mais minha risada". Ter uma percepção mais positiva sobre a vida nem sempre é simples, mas é mais sensato e independe de sorrisos ou lágrimas, é algo que sentimos mesmo quando isso não transparece em nossas expressões. Um abraço!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Um abraço da Temira, agradecendo o teu comentário, Ulisses, que esclarece tudo aquilo que eu pensei, na tarde de ontem, num café da cidade velha.

      Löschen
  7. Quem foi que disse que "a probabilidade de encontrar idiotas é enorme - há muitos!!"???
    Olhe aqui a prova.
    Boa semana

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. A minha amiga não é uma idiota, Pedro. Ela não aceita a minha felicidade pessoal, quando há tantas injustiças no nosso planeta.

      Faço votos que tenha uma ótima semana e, não me obrigue a salvar o mundo 🌍

      Löschen
  8. Uns são amigos outros dizem-se amigos.
    Há que perceber onde estão as diferenças.
    Beijo, Teresa, com votos de felicidades.
    Ah, já agora ... boa semana.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Acredito na amizade da minha amiga, embora ela me veja como uma mulher absolutamente egoísta, sedenta apenas da sua felicidade pessoal.

      Beijo 😘 agradecendo as tuas gentis palavras:-*

      Löschen
  9. Cá para mim, deve haver aí qualquer mal-entendido, Teresa!
    Não me cabe na cabeça que essa tua amiga se possa ter sentido 'afrontada' com a tua felicidade.
    Depois, não me sinto bem a julgar pessoas que nem sequer conheço. Só tu poderás saber se essa amiga não estaria a passar por um mau bocado e achasse que isso te era indiferente. Sei lá, isto já sou eu a conjecturar.
    Sê feliz e faz por fazeres os outros felizes, é tudo o que me ocorre 'aconselhar'.

    Um abraço feliz, por ti! :)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. A minha amiga não queria ser incomodada com a minha felicidade | boa disposição, numa altura menos favorável da sua vida. Compreendo perfeitamente.

      Todavia é difícil fazer os outros felizes. Cada um de nós é responsável pela sua própria felicidade.

      Abraço amigo, minha querida JANITA 🌻

      Löschen
  10. Felicidade?...

    «Eu não gosto de falar de felicidade, mas sim de harmonia: viver em harmonia com a nossa própria consciência, com o nosso meio envolvente, com a pessoa de quem se gosta, com os amigos. A harmonia é compatível com a indignação e a luta; a felicidade não, a felicidade é egoísta.»

    Sou saramaguiano até ao tutano... como é sabido

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Embora alemã, a minha amiga é saramaguiana até ao tutano, também ela diz que a felicidade é egoísta.

      Löschen
  11. Agora entendo o teu comentário de ontem lá no "À Flor da Pele".

    Desculpa não estar tão atenta como gostaria às tuas publicações... mas cést la vie... o tempo não chega para tudo o que dele quero fazer.

    Beijinhos felizes por estares bem.
    (^^)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Claro que é uma alegria quando recebo um comentário ou um @-mail teu, minha querida Clara, mas compreendo perfeitamente a tua vida profissional.

      Continuo absolutamente em boa forma física e emocional. A minha amiga não queria ser cruel, queria sim, que eu compreendesse como sou desumana, pensando somente na minha felicidade pessoal.

      Beijinho 😘 de um Düsseldorf maravilhoso.

      Löschen

Kommentar veröffentlichen