Leitura à beira-mar


Rapto de crianças e a pedofilia são temas muitíssimo sensíveis, temas esses, que Fiona Barton trata com grande sensibilidade no seu primeiro romance policial "A Viúva".

"Era a primeira vez que as suas fantasias se deslocavam do ecrã para a vida real, e o facto excitava-o e assustava-o em igual medida. Queria fazer qualquer coisa. A princípio não sabia bem o quê, mas durante as horas de condução ao volante da furgoneta começou a engendrar uma maneira de conhecer Bella."


Fiona Barton tece habilmente a história de um crime repugnante, sem fazer do assassino sem coração, um monstro.
Embora o romance me tenha agradado, o final não corresponde às minhas expectativas. Já como em "A Rapariga no Comboio"  é o ponto mais fraco do livro. Um grande thriller do ano exige um final inesperado. Fez sentido, sim, mas é absolutament previsível. 
E então, a cena em que a Jean Taylor sentada debaixo de uma árvore, sobre um casaco, com as pernas afastadas, como se fizesse um pequenique. A seu lado, jaziam as flores, ainda envoltas na embalagem de papel, aparece o detective Bob Sparkles, é o final mais patético na história da literatura policial.

Kommentare

  1. É mesmo uma desilusão quando o final não tem o impacto esperado. Ainda assim, fiquei com imensa vontade de ler este livro. E já o adicionei à minha lista!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Tem todos os ingredientes para um best-seller, contudo, o final deixa muito a desejar.

      Löschen
  2. Sobre esse tema recomendo o livro Gone baby gone, de Dennis Lehane, duro, por vezes muito duro, repelente, mas muito bem escrito e não desilude no fim.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Bem, eu não sou uma grande admiradora da literatura policial, no entanto, já pensei em ler o livro que o Carlos me recomenda, porque a crítica alemã também lhe teceu grandes elogios.

      Löschen
  3. r: Agradeço por esse cuidado :)
    Somos duas!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. A NET continua a fazer das suas e eu não tenho aqui berlindes para jogar.
      Fico absolutamente descontraída, quando jogo com os meus berlindes azuis.

      Löschen
  4. Não tenho vontade de ler livros que tratam dos crimes praticados pelo "humanidadezinha". Já chegam as realidades das notícias que nos trazem tristes !!!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. É um relato sobre a descida de um homem às profundezas da obsessão e a fragilidade humana. Um thriller psicológico inquietante. A leitura ideal para as minhas férias à beira-mar.

      Löschen

Kommentar posten