cidade sem alma


É quase noite
na cidade morta

Existe um ritmo de luzes desfeitas
no desejo ardente do teu corpo
meu amor 
A solidão da cidade irreal
é tão grande como o nevoeiro
de uma noite de inverno
Está frio nesse lugar
Também eu sou uma cidade sem alma
a sofrer a tua ausência
meu amor

É tempo no desejo ardente de voltar

Kommentare

  1. Se é foto tem um belo efeito produzido. Bonitas palavras !

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Uma fotografia mal conseguida.
      Palavras patéticas, mas minhas.

      Löschen
  2. patéticas...de phatos. Bonitas, as suas palavras patéticas. Talvez o pathos lhes acrescente beleza.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Há dias assim, em que me apetece escrever o que sinto.

      Löschen
  3. Mas a foto até me parece razoável e as palavras patéticas ou não, foi aquilo que sentiste quando escreveste!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. A fotografia foi trabalhada a fim de parecer uma pintura.

      Löschen
  4. Este poema consegue ser tão terno e tão intenso! Adorei *-*

    r: Pois, acontece

    Depende da forma como as pessoas tratam o amor

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Ternura nunca foi o meu forte, Andreia.

      E a música portuguesa também não.

      Depende também da forma como as pessoas recebem o amor 💓

      Löschen
  5. Mein lieber Teresinhamiga

    Gedicht und Foto

    Wunderbar!

    kleine Käse
    Henrique, o Leãozão

    INFORMAÇÃO
    Já está postado na Nossa Travessa um novo textículo deste feita inócuo, portanto sem qualquer tipo de provocação, de agressão erótica ou de imagem chocante, enfim próprio para todas as idades, sexos, profissões e até religiosos, agnósticos e ateus. Tem características internacionalistas e o seu título é AS PRIMAS DE MONTREAL mas não precisa de tradução para os comentários que se aguardam.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Du sollst nicht übertreiben!!!

      Ich lese gerne erotische Erzählungen. Montreal ist eine wunderschöne Inselstadt mitten im St. Lawrence River. Mal sehen, wie die Cousinen sind, hoffentlich nicht langweilig.

      Löschen
  6. O poema é muito depressão urbana, o quadro não sei se trabalhou uma foto ou é pintura, mas é lindíssimo o resultado final.
    Carlos Faria/geocrusoe

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Curiosamente, o título para esta fotografia modificada era *Depressão Urbana* , sem mais palavras.

      Löschen
  7. Parece que a única forma forma de comentar é como anónimo e depois assinar... vamos a ver se não esqueço de assinatura.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Mesmo sem assinatura, eu sei quem escreve os comentários.

      Löschen
  8. Não são nada palavras patéticas.
    São sentidas e muito bonitas.
    Bjs, boa semana

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Com tantos elogios, ainda continuo a atacar os meus leitores com as minhas palavras patéticas bonitas e muito minhas.

      Löschen

Kommentar veröffentlichen