Já imaginou um mundo sem cor?





Cinzento é a cor ideal constata o pintor alemão Gerhard Richter.
Um mundo totalmente cinza é poesia é nostalgia, é atemporal? 
Há um certo fascínio na exposição Black & White | de Dürer até Eliasson | no Museu Kunstpalast, Düsseldorf, que nos obriga a parar para pensar e sentir sobre a arte monocromática — a complexidade de questões relacionada com um mundo sem cor, totalmente cinza.

• • •

No fim de semana encontro-me no mundo verde, muito verde, de Osterrath.

Kommentare

  1. Acho que esta tonalidade cinza acaba por nos mostrar que a vida tem inúmeros contornos e que nada é assim tão linear

    r: Aproveita bem :)
    Obrigada e igualmente!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. A casa do colecionador (The Collector's House) de Hans Op de Beeck transmite exactamente aquilo que tu pensas, Andreia.

      Löschen
  2. Se o mundo fosse em tons de cinza e homens nele houvesse, depressa se inventavam as cores. Mas enquanto durasse a procura de policromia, havia alguns suicídios.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. No nosso mundo colorido os suicídios são o prato do dia.

      Löschen
  3. Não, Teresa. Nem consigo imaginar.
    Seria um mundo imensamente triste e monótono.

    Que te saibam bem esses dias passados entre a paisagem verde.
    Aproveita o máximo.

    Abraço forte.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Ao entrar na casa do colecionador (The Collector's House) de Hans Op de Beeck uma certa magia se apoderou de mim.

      Regressei do mundo verde toda picada dos mosquitos.

      Abraço muitíssimo colorido.

      Löschen

Kommentar veröffentlichen