Pequena Elegia de Setembro


 Não sei como vieste, 
mas deve haver um caminho
para regressar da morte.

Estás sentada no jardim,
 as mãos no regaço cheias de doçura, 
Os olhos pousados nas últimas rosas
dos grandes e calmos dias de setembro.

 Que música escutas tão atentamente 
 que não dás por mim? 
 Que bosque, ou rio, ou mar? 
 Ou é dentro de ti  
que tudo canta ainda?

 Queria falar contigo, 
 Dizer-te apenas que estou aqui, 
 mas tenho medo, 
 medo que toda a música cesse 
 e tu não possas mais olhar as rosas. 
 Medo de quebrar o fio 
 com que teces os dias sem memória. 

Com que palavras
ou beijos ou lágrimas 
se acordam os mortos sem os ferir,
sem os trazer a esta espuma negra
onde corpos e corpos se repetem,
 parcimoniosamente, no meio de sombras? 

 Deixa-te estar assim, 
 ó cheia de doçura, 
 sentada, olhando as rosas, 
 e tão alheia 
 que nem dás por mim.

Kommentare

  1. Que homenagem linda, Teresa!
    Eugénio sabia escolher as palavras com doçura, tal como se colhem flores num ato de amor.

    Beijinhos de Setembro
    (^^)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Que bela metáfora, AFRODITE, essa do Eugénio escolher as palavras com doçura, tal como se colhem flores num ato de amor.

      Beijinhos de um Setembro tão quente como um ato de amor...

      Löschen
    2. Que o Outubro seja sorridente e pouco chuvoso ou frio...para termos um dia lindo à beira mar, em São Pedro de Moel... todos juntos! :)

      Contamos contigo!

      Löschen
    3. Tenho vontade de ir até São Pedro de Moel para finalmente conhecer a malta.

      Tu és a autora do divino convite, não é verdade?

      Beijinhos 🎇

      Löschen

    4. Do selo.
      A Graça deixou as pistas certas! :)

      Löschen
    5. ... de uma Deusa do Amor, claro!

      Löschen
  2. Quanto mais leio outros poetas mais valor dou a Eugénio de Andrade uma das pessoas que melhor dizem o homem.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Concordo em absoluto com o teu comentário, bea.

      Löschen
  3. Sim
    às vezes nem dás por mim

    (Eugénio, acredites ou não
    é meu irmão)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Morreu no mesmo dia de que outro teu irmão.

      Acredites ou não, ambos meus irmãos.

      Löschen
  4. Teresinhamiga

    Tens de desculpar por parecer um importante - que não. Porém, sabes que a vida de jornalista leva-nos vezes exactamente onde queremos ir... Isto para te dizer que conheci José Fontinhas por intermédio de Oscar Lopes (que com António José Saraiva, também meu Amigo escreveu a História da Literatura Portuguesa)

    Só então fiquei a saber que esse homem misógino, fechado sobre si próprio, pouco expansivo era o Eugénio de Andrade o seu psinónimo. Quando mais tarde conversava com o meu compadre Hermano José Saraiva este disse-me que Eugénio era comunista tal como seu irmão António, mas ambos tranquilos. O termo que o meu compadre utilizou era inofensivos...

    Eugénio de Andrade, um dos maiores Poetas portugueses não me foi muito simpático; direi mesmo aturou-me...

    Depois li uma boa parte dos seus livros - uma maravilha; convencera-me..

    Qjs do Leãozão, muito dorido...

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Infelizmente, nunca encontrei o José Fontinhas/Eugénio de Andrade, embora ele fosse vizinho da minha amiga Beatriz.

      Apesar do seu enorme prestígio nacional e internacional, Eugénio de Andrade sempre viveu distanciado da chamada vida social, literária ou mundana, tendo o próprio justificado as suas raras aparições públicas com «essa debilidade do coração que é a amizade», eu digo que era para esconder a sua homosexualidade.

      Conheci sim, o Oscar Lopes e o António José Saraiva (tenho a História da Literatura Portuguesa) no Teatro Experimental do Porto (TEP) — a mais antiga companhia de teatro de Portugal fundada em 1951.

      Löschen
  5. Setembro e Outubro são os meus meses favoritos aqui em Macau.
    Menos calor, menos humidade.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Também adoro os meses de Setembro e Outubro, Pedro, e espero que tenhamos este ano um Outubro dourado.

      Löschen
  6. Conhecendo já o poema, li-o, aqui, com um sentimento novo e diferente.
    Hoje, senti que me tocou mais fundo.

    Linda homenagem que prestas à tua avó, Teresa.

    Um grande abraço com amizade.

    Janita

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Sempre que leio a Pequena Elegia de Setembro me lembro da minha avó materna, que nasceu no dia 6 de Setembro e, tinha um coração tão grande como o mundo.

      Mil beijinhos da amiga de sempre.

      Löschen
  7. Lindo de mais!!

    Beijinhos de Setembro...

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Eugénio de Andrade, sempre.

      Beijinhos de um Setembro quentíssimo.

      Löschen
  8. Belíssimo poema de Eugénio de Andrade, Teresa ! ... E como ele se adapta na perfeição ao que, julgo eu, tinhas em mente ao escolhe-lo !

    Simplesmente, beijos ! :)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Eu não tinha nada em mente, Rui, foi apenas uma brincadeira. Afinal o feitiço virou contra o feiticeiro.

      Löschen
  9. Teresa, referindo esta foto fizeste-me um desafio pessoal para eu te dizer onde era. Eu fi-lo para o teu mail e certamente ainda não viste !
    Diz-me só se acertei ou não, porque se não te importares eu poderia fazer um desafio meu sobre o assunto, tal como o que lá está presentemente sobre desafios que me fazem a mim ! :)))

    Beijos ! :)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Já te respondi por @-mail, Rui, continuando de boca aberta...

      Löschen
    2. eheheh... Não posso dizer que não gostei do elogio ! rsrs

      ... mas sabes ? ... Isto "são muitos anos a virar frangos" ! eheheh

      Então, se permites, quando sair o Desafio, eu aviso-te ! :))

      Löschen
    3. Que elogio???

      É pura e simplesmente a verdade.

      Löschen
    4. Pronto. Então está combinado. O próximo desafio, depois da re-edição do actual, será sobre esta foto. Provavelmente Domingo à noite (?)... mas não vais poder "concorrer" ! rsrs
      Obrigado, Teresa ! ... Um Beijo ! :)

      Löschen
    5. Afinal, fiz mal as contas. Vai entrar agora às 22:00
      Ficará até 2^ª.

      Löschen
    6. Vim de lá agora... Do desafio. Este é muito difícil. Olha que dois... :)

      Löschen
  10. Eu já disse que acho este poema muito bonito e terno? Já? Bolas. Vou repetir: é bonitíssimo. Lindo. De uma intocável leveza. Assim mesmo ó Eugénio.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Nunca é demais repetir que a Pequena Elegia de Setembro é belíssima.

      Löschen
  11. Desafios à parte, acho foto e poema lindíssimos. :)

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen