«1944»


Susana Jamaladinova, uma tártara da Crimeia, foi  a vencedora da 61.ª edição do Festival Eurovisão da Canção, que se realizou na noite de sábado em direto de Estocolmo, com a canção 1944 que conta a história das deportações de cerca de 240 mil tártaros da Crimeia em 1944 pelo antigo líder da ex-URSS para a Ásia central e partes remotas da União Soviética. Estaline acusou os membros deste grupo étnico de colaborarem com as forças nazis que ocupavam a Crimeia. 
A cantora escreveu a letra da música no dialeto desta etnia, inspirada na história da bisavó, que foi deportada com os seus cinco filhos: «Esta música é sobre a minha família. É difícil para mim cantá-la».
Grande parte do público votou na Ucrânia como voto anti-Rússia?
You Are The Only One a canção de Sergey Lazarev era uma das minhas favoritas e ficou em terceiro lugar.

Kommentare

  1. A envolvência parece-me bem. Mas de festivais ando arredia. Pensar que já foram um dos acontecimentos da TV portuguesa!...

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Aqui, continua a ser um dos acontecimentos da TV alemã com festas em casa e na rua.

      Até ao momento, o Eurovision Song Contest 2017 conta com a confirmação provisória de cinco países: Alemanha, Estónia, Hungria, PORTUGAL e Suécia.

      Responsáveis políticos de duas cidades da Ucrânia, Kiev e Odessa, já mostraram publicamente estar disponíveis para acolher o Festival Eurovisão da Canção 2017, sendo que as datas provisórias para a sua realização são 16, 18 e 20 de Maio.

      Löschen
  2. Há muito que o eurofestival se politizou.
    Não me custa a crer que a votação fosse mais anti Rússia do que pela qualidade da mesma.

    Qual a classificação da canção portuguesa? Pois, não houve canção portuguesa no festival. A RTP desistiu ou está a cumprir um período sabático?

    Um beijinho, Teresa, bom domingo.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. A canção tem qualidade, Observador, a vitória da Ucrânia foi justa, embora a canção não fosse a minha favorita.

      Não me digam que a canção Ghost de Jamie-Lee ficou em último lugar porque ninguém gosta da Alemanha.
      EU AMO A ALEMANHA e não dava um único ponto à canção alemã.

      Ah, a Conchita Wurst impressionou pelo visual. E a Jamie-Lee assustou com os seus trajes asiáticos.

      Um beijinho de parabéns ao BENFICA.

      Löschen
  3. Também estive a ver o festival (inesperadamente, porque pensava que estaria ocupada com outra coisa) e independentemente da questão política, esta era mesmo uma das que que preferi. Achei que foi muito bem interpretada e pelo menos não foi só em inglês. O facto de todas ( ou quase todas) as canções estarem a ser cantadas em inglês acaba por descaracterizar o festival.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. 1944 era também uma das canções preferidas da minha filha Vanessa, com quem vi o Festival. Ela não é anti-Rússia.

      Löschen
  4. Nada tenho contra a canção política
    Nada tenho contra a canção de intervenção
    Depende do que ela diga
    Depende do que diga a canção

    Mas... nacionalismos assim, nunca mais!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. A vitória da Ucrânia no festival desagradou aos parlamentares em Moscovo, que alegaram haver motivação política por trás da conquista. Na canção interpretada por Jamala, haveria uma suposta referência à anexação da Crimeia pela Rússia em 2014.

      Löschen

  5. «You Are The Only One» também era a minha preferida, logo seguida da canção que representou a Austrália.

    Beijinhos
    (^^)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Jamala, com a canção 1944 bateu a convidada australiana Dami Im graças ao televoto.

      Beijinhos ❥

      Löschen

Kommentar veröffentlichen