O Conto do Inverno


O Conto do Inverno, peça teatral escrita por William Shakespeare no início do século XVII.
A tragédia é inspirada num velho conto, Pandosto, recontado e publicado no final do século XVI, por Robert Greene, contemporâneo e rival de Shakespeare, obra bastante popular na época.
O Conto do Inverno divide a ação entre a Sicília e a Boêmia, não  uma gama de situações que vão da tragédia à
comédia pastoral.
Com ciúmes do amigo Polixeno, o rei Leonte manda prender a sua esposa, Hermíone. Na cadeia, ela tem uma filha chamada Perdita, que o rei repudia.
Dezasseis anos depois, o filho de Polixeno apaixona-se por Perdita, mas Polixeno e contra o casamento com uma plebéia.
Os jovens fogem para a corte de Leonte que reconhece a filha perdida. Leonte arrepende-se do passado e imploroa perdão, revelando o seu remorso pela morte de Hermíone.
Polixeno permite o casamento dos jovens e reconcilia-se com o velho amigo Leonte.
O realizador, fundador e diretor do Theater an der Ruhr, Roberto Ciulli, que nasceu em Milão em 1 de April de 1934, atualizou de forma genial a peça tardia de William Shakespeare The Winter's Tale.

Kommentare

  1. Antworten
    1. The Winter's Tale foi a primeira peça de William Shakespeare que li na língua original, durante a minha primeira estadia em Londres.

      Boa semana com ou sem William Shakespeare.

      Löschen
  2. Ainda bem que tudo fica em paz.


    Desconhecia o Conto


    Linda, boa semana para ti

    AntwortenLöschen
  3. Tive 2 semestres inteirinhos com obras de Shakespeare ( Literatura Inglesa II) e gostei. Recordo ainda a minha prova oral que andou à volta de Richard III e ainda a simbologia da cabeça de burro em A midsummer night's dream.
    Gostei de a ler.
    Boa semana
    :-)

    AntwortenLöschen
  4. Passo só para cumprimentar e deixar um beijinho desde longe.

    AntwortenLöschen
  5. Teresinhamiga

    Quando era jovem, pelos meus 17/18 anos no Restelo onde vivia, a malta entre os 17 e os 19 anos decidiu criar um grupo de teatro com o título "Cenas de Palco"; entre as barcas do Gil Vicente o Hamlet de Shakespeare escolhemos aquela onde o personagem dizia a célebre frase Ser ou não ser, eis a questão

    Eu tinha sido escolhido pelo grupo para ser o Hamlet; mas a coisa era complicada, mais, complicadíssima, uns queriam o Otelo, outros o Rei Lear, outras o António e Cleópatra, uma verdadeira balbúrdia. Eu já pensava prudentemente voltar ao Auto da Alma...

    Foi então que Joaquim Cascais decidiu que voltávamos ao William e encarregou-mede encenar uma estranhíssima coisa que era a "peça cómica" Medida por medida que eu nem sabia que era dele. Claro que sugestão/ordem deu bota, no Claustro dos Jerónimos, os "artistas" foram apupados mas com sorrisos amarelos (a maior parte da assistência era constituída por familiares dos "actores"

    No dia seguinte, um Homem que foi um Exemplo para a minha juventude, o pároco José da Felicidade Alves chamou-me à sacristia: "Henrique, eu nem sabia que o Shakespeare tinha escrito uma peça cómica. É verde? Sim senhor prior". Perdeu-se um genial "encenador"...

    Mas, agora estou como o padre Felicidade Alves, com quem aprendi sobretudo uma forma de viver direito e político: eu nem sabia do "Conto de Inverno"; mas agora, já sei...

    Qjs do Leãozão

    Gostarei de te ver n'A Travessa do Ferreira

    kleine Käse

    AntwortenLöschen
  6. ADENDA

    Desculpa-me: escrevi um comentário tão longo e chato que mais parece a Grande Enciclopédia Portuguesa...

    AntwortenLöschen
  7. Não conhecia, nem nunca vi. Mas quer dizer, Shakespeare não é exatamente a minha predileção... ;)

    Beijocas

    AntwortenLöschen
  8. Votos de um Santo Natal para si e família.

    AntwortenLöschen
  9. Venho desejar-te um Natal com serenidade.
    Que o ano de de 2016 seja melhor que este.
    : )

    AntwortenLöschen
  10. adoro peça de teatro. beijos, pedrita

    AntwortenLöschen
  11. Feliz 2016 Ematejoca
    um beijinho
    Gábi

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen