Portugal ao longe


Regressei hoje a Düsseldorf depois de duas esplêndidas semanas na cidade invicta e encontrei a minha nova casa exactamente como a deixara: com dezenas e dezenas de caixas de papelão. 
Tristeza, impaciência e muito trabalho esperavam por mim.

Kommentare

  1. Força Teresa! Casa nova, vida nova, é trabalhoso mas também tem o seu encanto a descoberta de novas rotinas...
    Que sejas muito feliz na nova casa.
    xx

    AntwortenLöschen
  2. Lembras-te da tua antiga rua?
    aquela que eu mandei ladrilhar
    com pedrinhas cor-de-rosa
    para teu amor passar?

    Estou "disponível"... é só avisar

    AntwortenLöschen
  3. As pessoas são mais fortes do que poderão pensar. As portas podem-se fechar mas haverá sempre uma janela que se abrirá. Cliché? Sim. Mas verdadeiro.

    AntwortenLöschen
  4. E ninguém para ajudar? :( Vais ver que vão aparecer voluntários e voluntárias!
    Vai fazendo tudo com calma...
    Daqui por uns dias vens dizer-nos que está tudo ok!
    Bom trabalho!
    Eu vivo há 44 anos nesta casa e ainda não tenho tudo arrumado! :)

    Abraço

    Rosa dos Ventos

    AntwortenLöschen
  5. ~
    ~ ~ "Roma e Pavia, não se fizeram num dia."

    ~ ~ Tudo com a certeza e a serenidade de uma vencedora.

    ~ ~ ~ ~ Grande abraço solidário. ~ ~ ~ ~
    ~

    AntwortenLöschen
  6. Bom regresso e bom trabalho aí com as caixas de cartão cheiinhas de coisas para arrumar!!

    AntwortenLöschen
  7. Sei bem o que isso é, Teresa. Este ano já mudei de casa e tive de desfazer outra. É cá um petisco!
    O importante é que tenha regressado bem e volte ao Porto brevemente, para matar saudades.
    Beijinho

    AntwortenLöschen
  8. As mudanças de casa são um frete do caraças!
    Com calma.
    Boa semana

    AntwortenLöschen
  9. Teresa, fiz anos no passado dia 14. Obrigada por (ainda) não se esquecer.
    Um beijinho para si.

    P.s.- estamos todos muito felizes com este prémio do Afonso.

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen