palavras da razão

 
Vivemos tempos difíceis e de difícil coexistência entre os seres humanos. Existem muitas pessoas a sofrer me detrimento de outras que nem sequer sabem o que é isso. No entanto, é importante que todos tentem ajudar o próximo seja de que maneira for. Ao teu lado esquerdo ou direito pode alguém estar a precisar de uma palavra de conforto, de uma conversa que o tire da solidão em que está, ou até mesmo um prato de sopa. Esse é um papel que cabe a todos nós privilegados desta sociedade, onde podemos
conversar abertamente sobre tudo e virmos aqui dialogar uns com os outros. Eu considero uma obrigação ajudar os outros.
Isto para eu dizer o quê ? A tua segunda Pátria será sempre ofuscada pela sua história marcante, mas o povo alemão é um povo trabalhador e após duas Guerras, e principalmente a Segunda, que os deixaram completamente destruídos tiveram a coragem de trabalhar duro para levantar a sua Pátria. Isso ninguém lhes pode negar. Aí eu tenho pena que os portugueses, não tenham essa capacidade de querer fazer sem estar à espera que lho peçam ou lho exigam. No entanto, como deves calcular a posição do FMI e do governo alemão não é, por cá, bem recebida. Também temos de entender que existe muita gente honesta por aqui que tem vindo a ser prejudicada por esta dívida monstruosa e muitos deles não têm culpa nenhuma.
Respeito muito o povo alemão, embora, goste mais dos latinos. Porque também o sou!
 

Kommentare

  1. Teresa, querida Teresa
    Este texto desse seu amigo é todo ele um equívoco
    Três perguntas:
    - Sabe qual era o montante da dívida alemã depois da guerra e como a pagou?
    - Dar um prato de sopa altera a condição do empobrecido?
    - Declarar o apreço pelos povos com critérios de raça é ou não racismo?

    Tivesse o nosso país as mesmas condições que tiveram os alemães para pagar a sua dividida externa... (não seja impulsiva, minha amiga. Tente dar respostas honestas...)

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. O camarada Rogério sabe muito bem, que sou impulsiva quando se trata da minha segunda pátria, que amo com todo o meu coração.

      Löschen
    2. Vou tentar dar respostas honestas, camarada Rogério:

      Não sei qual era o montante da dívida alemã depois da guerra e como a pagou; gostava que o Rógério me desse esses dados.

      Dar um prato de sopa não altera a condição do empobrecido, é só um acto de caridade, mas sempre é um primeiro passo.

      Sou racista por ter mais simpatia pelo povo alemão do que pelos gregos e troianos, quando eu própria sou uma mulher latina?

      Löschen
  2. Concordo parcialmente com o Ricardo, mas permito-me lembrar que os alemães tiveram décadas para pagar a sua dívida e a Portugal só deram três anos. Ora isso é bastante diferente...
    Bom FDS

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Concordo em absoluto com as palavras da razão do Ricardo.

      Mesmo que o nosso país tivesse as mesmas condições que tiveram os alemães para pagar a sua dividida externa, o comportamento do nosso povo era muitíssimo diferente, e o Carlos sabe isso muito bem.

      Löschen
  3. Não serão os alemães mais trabalhadores e mais poupados?

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Para não levantar polémicas não digo que os alemães são mais trabalhadores e mais poupados, Catarina!

      Só digo que a mentalidade do povo alemão é bem diferente da do nosso povo e, que pouparem energia e não deixarem dia e noite quatro computadores ligados, como em casa de familiares portugueses, é muito mais ao meu gosto.

      Löschen
    2. Durante uma entrevista qualquer sobre a crise europeia (já faz tempo), o entrevistado afirmou isso precisamente, que os alemães eram trabalhadores e poupados embora não os tivesse a comparar com nenhum outro país per se.
      Uma amiga portuguesa a viver no Canadá, passou alguns meses na Alemanha, num espaço de dois anos, a estudar para completar dois mestrados. E a opinião dela tb foi essa para além de que achou os alemães um povo muito dedicado à família.
      Apesar de ter conhecidos e amigos de origens muito diversas, não convivo com ninguém que seja alemão e tenho pena pois poderia praticar a língua que estudei durante alguns anos e da qual me ficou apenas alguns termos e frases banais! : )

      Löschen
    3. Ematejocamiga

      Duas ou três perguntas:

      Como se pode viver em Portugal convivendo com a fome?
      Como se pode economizar com este desemprego (16,4 %)?
      Como se pode aguentar o Imóvel de Belém - o maior culpado! - e o (des)Governo capitaneado por PPC (não confundir com PCP...)?

      Antes, os emigrantes portugas, mandavam ma$$aS para construir uma mézon à maneira dos franciú, com fenétres. Agora mandam €€€€ para ajudar os familiares a sobreviver e, muitos, a matar a fome. Antes, a esmagadora maioria deles pensava voltar. Hoje dizem: Com estes gajos, nunca mais volto

      Os alemães são excelentes? E o nazismo? E o Anshlusse? E a Frau Merkel? E o Herr Schläube?

      E fico-me por aqui. Já é meia-noite, no horário de Inverno.

      Käse

      Henrique

      Löschen
    4. Just fuck them and leave me behind!!!

      Löschen
    5. Não digo que todos os alemães são como a tua amiga e eu os vemos, CATARINA.

      O meu marido, a família dele e todos os nossos amigos têm essas qualidades.

      O meu marido é muitíssimo dedicado à família e benevolente demais com os nossos filhos.

      Löschen
  4. Olá, ematejoca.
    Gostei do texto.
    Também aprecio as qualidades do povo alemão. E, quando se coloca a questão de comparações com outros povos é sempre muito contingente. Os portugueses têm a sua história e um passado diferente do alemão e reagem de outro modo ante a adversidade. Acho que fomos estragados por um sonho que foi Abril. Perderam-se qualidades e valores tal como a honestidade, simplicidade e o gosto pelo trabalho. Deram a entender que viver em liberdade e democracia tudo era possível, inclusivamente viver em paraísos sem esforço e com o esforço e o dinheiro dos outros. Agora que caímos na realidade culpa-se quem pretende corrigir os desmandos de décadas e quem nos empresta o dinheiro. Daí as constantes acusações à sra Merkel e às instâncias internacionais. Claro, que os alemãues aprenderm a lição, nós...pelo menos alguns estratos da população nada compreenderam e querem de volta as vidas deles...gritam.
    Um abraço.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Também gostei do teu texto, Carlos II.

      Em vão que tento deixar um comentário no teu blogue, penso que para o fazer tenho de estar escrita no Facebook, mas eu não estou.

      Löschen
  5. Obrigado Ematejoca. Acho que o meu texto está a ser polémico o que é natural. Equívoco não acho que seja, mas respeito as opiniões dos outros, tal como gosto que respeitem a minha. O Mundo nunca avançará sem nós próprios ajudarmos o nosso semelhante e infelimente estamos muito longe disso. Se as coisas estão mal tentemos começar por algum lado e cada um de nós, individualmente, e o pouco mais que pode fazer do que ajudar quem precisa.

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Um pouco de polémica é o sal e a pimenta da comunicação social logo que se respeite as opiniões dos outros, Ricardo!

      Löschen

Kommentar veröffentlichen