„FELLINI E AS ARTES“

 
Federico Fellini, o realizador de filmes conhecidos em todo o mundo como A estrada (1954); As noites de Cabíria (1957); A doce Vida (1960); Amacord e Fellini 8 1/2 (1963); Julieta dos espíritos (1965); Roma (1972); Ginger e Fred (1986) entre outros, é considerado uma lenda cinematográfica. Na sua pátria Itália é denominado de "il Maestro".
Por ocasião do 20º aniversário da morte de um dos melhores realizadores de todos os tempos, o Museu Ludwig apresenta em cooperação com a Fondation Fellini, Sion (Suiça) a exposição

Kommentare

  1. Sem sombra de dúvida um dos melhores realizadores mundiais de todos os tempos e um dos meus preferidos. Não devo ter visto tudo dele, mas quase.
    E La Nave Va (1983) de Federico Fellini

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Os filmes de Federico Fellini vão ser o tema do "ematejoca azul" até ao dia 31 de Outubro, data em que ele faleceu.

      Então, também escrevo sobre "E LA NAVE VA", filme que ainda não vi, e uso o vídeo que o Ricardo me mandou. Muito obrigada!

      Löschen
  2. Fellini foi, sem dúvida, um dos melhores realizadores de todos os tempos, como salientam a Teresa e o Ricardo. Um realizador do tempo em que ir ao cinema ainda era um convite a pensar. Saudades dos tempos em que uma ida ao cinema se prolongava numa tertúlia entre amigos.
    Hoje servem-nos os filmes, recebemos a mensagem ( os que têm alguma mensagem , porque a maioria autodenominam-se filmes de acção e são um hno à violência) mas perdemos pouco tempo a pensar sobre o assunto. Essa é uma das razões de termos chegado a este mundo nihilista.
    Boa semana

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. No início escrevi "o realizador mais importante da Itália", mas ao ler o comentário do Ricardo mudei para "um dos melhores realizadores mundiais de todos os tempos", porque é a designação mais apropriada.

      O ontem é história
      O amanhã é uma incógnita,
      mas o hoje é um presente.

      É em geral o meu lema, só no que respeita ao cinema prefiro como o Carlos os filmes antigos.

      Felizmente, que Düsseldorf tem um Museu de Cinema com a Black Box, onde posso ver raridades cinematográficas.

      Também lhe desejo uma boa semana, Carlos, durante a qual nos vamos em encontrar no Rochedo.

      Löschen
  3. Um dos filmes que vi foi Casanova com David Sutherland.

    No mês passado celebrou-se aqui em Toronto os 40 anos de carreira de David Cronenberg (torontino).

    Não estou a comparar realizadores. Cada um no seu género.

    Diz o Carlos que ir ao cinema já não é a mesma coisa. Talvez não seja mas é igualmente agradável ver de vez em quando filmes que nos dispõem bem sem grandes análises.

    Se eu estivesse à espera de filmes que me proporcionassem apenas o conhecimento aprofundado da natureza humana ... nunca iria ao cinema aqui. : )

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Adorei ver o Donald Sutherland como Giacomo Casanova.

      Embora David Cronenberg não seja um dos meus realizadores preferidos, já ví vários filmes dele e até tenho alguns vídeos.

      Gosto de filmes antigos, mas não sou radical ao ponto de não gostar de alguns dos filmes realizados no século XXI.

      Estou em pulgas para ir ver novo filme do meu querido Woody, que só se estreia aqui no dia 7 de Novembro.

      Löschen
  4. Vou ter que pesquisar para saber com que idade vi Amarcord, fiquei fascinada! Nunca mais o voltei a ver e tenho curiosidade de saber com que olhos o verei hoje em dia...
    XX

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Amarcord é considerado um dos 1000 melhores filmes do mundo, Papoila.

      Löschen
  5. Para muitos críticos, O Cineasta.
    Daí a designação de Il Maestro.
    Não concordo nada.
    Boa semana!

    AntwortenLöschen
    Antworten
    1. Federico Fellini é para mim o mestre dos cineastas.

      Giulietta Masina foi uma actriz maravilhosa.

      Löschen

Kommentar veröffentlichen