O 31º encontro do Círculo Literário

 
Akureyri no fim do século XIX
 
 
Barris com arenques
 
Em Akureyri no princípio do século XX decorre parte da narrativa do romance histórico Karítas án titils  (Karitas, sem título) de Kristín Marja Baldursdóttir.
A escritora islandesa permite uma visão profunda na vida quotidiana da sua pátria no início do século XX. Ela descreve com sobriedade e sem qualquer emoção a dureza da vida. As tradições lendárias dos islandeses com os seus elfos são expostas tão reais como o trabalho diário na fabrica de peixe ou a matança das ovelhas no meio rural.
O tema central deste romance são as mulheres vigorosas, potentes, ousadas.
A viúva Steinunn Ólafsdóttir tem a coragem de abandonar a sua aldeia e ir para Akureyri no Norte da Islândia para que os seus seis filhos —  as três raparigas também — possam frequentar aí a escola. 
Tempos duros por volta de 1900, imprevisíveis as forças da natureza.
Trabalho pesado de empreitada na fábrica de peixe, onde as mulheres tinham de pôr em sal os arenques —  a prata do mar.
Karítas án titils é um retrato espantoso e empolgante de uma mulher corajosa, das suas filhas: Halldóra, Bjarghildur e Karitas — a pintora do gelo — assim como de uma nação inteira. 

Kommentare

  1. adoro conhecer autores e livros q não sabia. beijos, pedrita

    AntwortenLöschen
  2. Anda fascinada com a Islândia :)
    Boa semana!

    AntwortenLöschen
  3. Nunca li nada dessa autora, mas despertou-me a curiosidade.
    Ver se encontro alguma coisa dela por aqui.
    Boa semana

    AntwortenLöschen
  4. Não me parece que essa escritora tenha sido publicada cá, na net só aparecem entradas em inglês e noutras línguas, suponho que nórdicas. O livro parece interessante... :)

    Beijocas!

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen