Morrer

Eu queria morrer como o Outono,
Tonto... a esparramar cor...
E ficar como o Artista
Antes da morte,
Antes da dor.

Se alguém me chorar,
(A chorar)
Console-o a certeza
De que morri inebriado,
Ébrio de luz e de cor,
Em Amor e Beleza
Mesmo com a certeza
De que morri.

Agostinho Gomes in
"Canas ao Vento e Canções do Mal-amado"
1ª edição — Abril de 2011

Kommentare

  1. Tristemente belo, copiando a Nina!
    Eu queria morrer...de morte súbita!
    Sou tão poética, não sou?! :-))

    Abraço

    AntwortenLöschen
  2. Excelente escolha poética.
    Gostei de ler.
    Querida amiga, tem um bom fim de semana.
    Beijos.

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen