Bom Negócio

Um presidente de câmara do interior queria construir uma ponte e chamou três empreiteiros: um alemão, um americano e um português.
— Faço por três milhões de dólares — disse o alemão. — Um pela mão-de-obra, um pelo material e um para o meu lucro.
— Faço por seis milhões — propôs o americano. — Dois pela mão-de-obra, dois pelo material e dois para mim. Mas o serviço é de primeira.
— Faço por nove milhões — disse o português.
— Nove? — espantou-se o presidente — É de mais! Porquê?
— Três para mim, três para si e três para o alemão fazer a obra!

Kommentare

  1. Esta é boa, mas está mal contada.
    Em matéria de pontes
    Cabe sempre a portugueses a empreitada
    E se quer fazer duscussão
    sempre lhe digo:
    o lucro é... do alemão!

    AntwortenLöschen
  2. :)
    Assim também eu fazia uma ponte ou uma data de pontes!
    (claro que não fazia nada porque seria muito mal feito agir dessa forma)

    AntwortenLöschen
  3. É divertida, mas não muito simpática para uma pessoa que assumiu a nacionalidade portuguesa por opção como eu.
    Além disso, possui mais um erro:
    Na verdade o alemão poderia assumir a obra como sub-empreiteiro e chefias, mas a mão-de-obra, provavelmente, seria sempre maioritariamente portuguesa. Mesmo no coração de Berlim em todas as obras que vi muitos dos trabalhadores falavam era em Português :)

    AntwortenLöschen
  4. Moral da história: a obra nunca seria concluída, porque o alemão nunca faria a obra. A não ser que chamasse uns turcos e uns portugueses...

    AntwortenLöschen
  5. OK, é anedota, mas parece-me espelhar bem uma certa mentalidade ainda existente dos construtores civis tugas...

    Difícil é provar que essas negociatas pouco transparentes se fazem, como no caso daquele fulano do Bragaparques, que pagou uma multa insignificante pela sua tentativa de corrupção!

    Beijocas!

    AntwortenLöschen
  6. Olá, amiga!

    A anedota descreve muito sinteticamente a realidade da mentalidade de muitos portugueses. Assim reza história desde há muito, mas se mantém a moral da história na actualidade.

    Beijos e sinceros kandandos.

    AntwortenLöschen
  7. A história depois desvia-se para outro desfecho...
    O alemão, ou de outra nacionalidade qualquer, diz que não alinha, mas o dinheiro acaba por ser gasto e imputado à construção da ponte.
    E um dia o Presidente da Câmara recebe o alemão de visita e diz que a ponte ficou muito bonita. Então o alemão pergunta: "Ponte? Qual ponte?
    Mágicos de pobreza!

    AntwortenLöschen
  8. Coitadinhos de nós ... Estamos sempree no fio da navalha...
    Quem me dera salvar este país à beira mar plantado, que tem tanta coisa boa, mas que caiu nas bocas do mundo.


    boa Carlos Barbosa ...

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen