Uma rua chamada Saramago

Sim, Saramago no Porto, provocou em mim uma ligeira irritação, não hesitando em mandar um comentário um tanto polémico para o crónicas do rochedo:

O documento é subscrito por várias personalidades ligadas à Cultura: Mário Cláudio, Vasco Graça Moura, valter hugo mãe, Ana Hatherly, Albuquerque Mendes, José Emídio, José Rodrigues e Alcino Soutinho, entre outros. Todos intelectuais!
Mas o que pensa o portuense da classe média? Sabe o portuense que vive na rua, quem era o Saramago? Perguntem às peixeiras do Bolhão, se querem uma rua com o nome de um Prémio Nobel?
O Porto não pertence a uma elite intelectual, mas sim, a todos os portuenses, portanto todos os portuenses têm de decidir se querem ou não uma rua Saramago.
Será que também sou cega de algum olho?

Não, do olho direito não sou!
Caso os portuenses queiram pôr a uma rua o nome de Álvaro Cunhal, apoio logo a ideia. Eu própria acreditei, durante anos, nessa utopia maravilhosa chamada comunismo.
Não quero, nem deixo de querer uma rua chamada Saramago, o que digo é, que não vejo nenhuma relação entre ele e a minha cidade.
Vejo sim, uma relação muito íntima com nomes como os de António Pedro, Eugénio de Andrade; dos vivos: Manoel de Oliveira, Agustina Bessa-Luís (a minha favorita para o Nobel), Mário Claudio (mesmo sem o Nobel), Alberto Carneiro e muitos outros, mas nunca Saramago.
Um bairrismo provinciano corre nas minhas veias...
No caso de uma autorização da Câmara do Porto, então, por favor, o nome completo José de Sousa Saramago, já que o Saramago foi uma maldadezinha do funcionário do Registo Civil.

Kommentare

  1. Cara Teresa,

    Pronto, está explicado: é tudo uma questão de critérios toponímicos, (embora se levantem alguns problemas com o eventual caso de um dado cidadão, reconhecidamente importante, que tenha residência num local, nascido num outro e registado num terceiro...

    Mas olhe que as peixeiras do Bolhão até aceitaram (acredite ou não...)

    Beijo

    AntwortenLöschen
  2. Discordo completamente, Teresa!

    Onde é que é o povo a escolher o nome das ruas da sua cidade? E também não acredito que as peixeiras do Bolhão ficassem indignadas por isso, que devem ter assuntos mais importantes com que se preocupar...

    Um escritor é do mundo, não apenas lá do bairro. A não ser que seja muito manhoso, o que não era o caso, embora eu própria não seja fã...

    Opiniões, evidentemente!

    AntwortenLöschen
  3. Que tal darem o nome dele a um sitio em LANZAROTE?
    Absurdo. É um absurdo tremendo darem o nome Saramago a uma rua do Porto. As gentes do Porto são pessoas ligadas à alma, e pelo Saramago pouco ou mesmo nada nutrem.
    Como é que podem querer dar um nome de uma rua a um homem que(ainda uma referência para o país) não diz nada à cidade?
    Ridiculo. O proprio Saramago deve andar às voltas na cova pelo ridiculo da situaçao.
    Afinal de contas, somos gentes de lingua garrida, entusiastas e vibrantes com os nossos ídolos, e o Saramago, nao foi um deles.

    AntwortenLöschen
  4. Cara Teresa:
    A recusa não foi das gentes do Porto, ( cuja opinião nunca foi pedida em questões de toponímia) mas sim de autarcas.
    Nomeava pelo menos 20 ruas e praças no Porto, com nomes de pessoas que não tiveram qualquer ligação ao Porto. Respeito, no entanto- como sempre- a sua opinião.
    Beijinhos
    PS: embora discorde do post, gostei bastante de o ler.

    AntwortenLöschen
  5. Há uma carta que Rui Rio escreveu ao clube de jornalistas em que acrescenta como factor de recusa, o facto de Saramago ter despedido arbitrariamente 24 jornalistas, apenas por razões políticas quando assumiu o cargo de vice-director do DN, o que demonstra a sua falta de espírito democrático.
    Acresce ainda o facto de Saramago ter comparado Obama e o povo Judeu ao Nazismo, além de muitas outras manifestações que são publicamente reconhecidas da sua manifesta incapacidade de aceitar a democracia, salvo aquela de linha soviética.
    Rui Rio distingue 2 Saramagos: o Grande escritor (fora de causa) e o homem, anti-democrático !
    .
    .

    AntwortenLöschen
  6. Ponto prévio: tenho uma costela portuense. Minha mãe era natural de Cedofeita.
    Dito isto, acrescento:a Teresa tem todo o direito de discordar que se dê o nome Saramago a uma rua do Porto! Respeito a sua opinião.
    Permita-me, contudo, algumas observações.
    1) - Não me consta que as peixeiras do Bolhão, ou a classe média da Invicta, tenham sido consultadas acerca dos topónimos Rua do Corpo da Guarda, Rua D. Hugo ou Rua de Salazares, por exemplo, como de quaisquer outros.Provavelmente nem saberão quem foram D. Hugo,ou Salazares e que coisa é essa do Corpo da Guarda.
    2) - Dos intelectuais que cita, um, pelo menos, não me merece o menor crédito (Graça Moura). Numa arrogante manifestação de soberba intelectual, inaceitável, escreveu um artigo de opinião em que chamou estúpidos aos portugueses, por terem votado como votaram nas últimas eleições legislativas...
    3) - Dela discordando, não posso deixar de lhe dizer que gostei da forma clara e sem poeira nas palavras com que manifestou a sua opinião.
    Abraço

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen