Inauguração do 60º Festival Internacional de Cinema de Berlim!

Dieter Kosslick

O Festival Internacional de Cinema de Berlim, em alemão Internationale Filmfestspiele Berlin, também conhecido como "Berlinale", é um dos mais importantes festivais de cinema da Europa e do mundo, tão importante como o Academy Awards, o Festival Internacional de Cinema de Canes ou o Festival de Veneza.
Dieter Kosslick assumiu a 1 de Maio de 2001 a direcção da Berlinale, sendo o sucessor de Moritz de Hadeln e Ulrich Gregor. Ele deu ao festival novos impulsos e uma nova atmosfera, trazendo importantes inovações: o cinema alemão passou a ser mais valorizado, voltando a participar na competição.
O Festival foi inaugurado em Junho de 1951 a partir de uma idéia de um militar, membro das tropas americanas que ocupavam a Alemanha no pós-guerra.
O filme de abertura foi "Rebecca" de Alfred Hitchcock. E o lema do Festival foi "Vitrine de um mundo livre". O júri deu sempre ênfase a filmes representativos de todos os lugares do mundo, do antigo bloco de leste bem como dos países ocidentais. Os prémios são chamados de Urso de Ouro e Urso de Prata sendo que o urso é o símbolo de Berlim.
O 60º Festival Internacional de Cinema de Berlim conta com cerca de 400 filmes das mais diversas categorias: curta metragem, documentários, retrospectivas. Serão apresentados 26 filmes de 18 países diferentes – 20 deles concorrem no Berlinale Palast à estatueta símbolo do festival: o Urso de Ouro. Além do prémio principal, receberão o "Urso de Prata" o filme escolhido pelo júri e os vencedores nas categorias de melhor realizador, actor, actriz e argumento.
Haverá ainda uma homenagem especial à actriz alemã Hannah Schygulla, ícone do chamado Novo Cinema Alemão e que ganhou fama nos filmes do cineasta Rainer Werner Fassbinder. Dos filmes apresentados, 18 farão na Berlinale sua estréia mundial, estando ao todo 18 países representados. A Berlinale abriu esta noite com Tuan Yuan (Apart Together), do realizador Wang Quan’an e o encerrará com Otouto (About Her Brother), do japonês Yoji Yamada.

Kommentare

  1. Permita-me só acrescentar o Festival de Veneza, também entre os melhores do mundo.
    Apesar da neve que, pelo que ouvi, está em Berlim, gostava muito de lá estar. Ainda por cima, depois de ter falhado Cannes ano passado.

    AntwortenLöschen
  2. Adoro cinema, também não me importava nada de estar em Berlim por estes dias. Pena Portugal não ter nenhum filme na Berlinale.
    Bjs

    AntwortenLöschen
  3. A vida sem cinema não seria fácil, tal como sem livros.
    Gostaria de estar em Berlim nesta altura.
    Não só pelo Festival, mas também para rever a cidade de que muito gostei das três vezes que lá estive, a primeira ainda com o muro e o Charlie Checkpoint por onde passei para o outro lado.
    Fico por cá, à espera do Precious para o ir ver.

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen