AMOR À TARDE

Imagem daqui

Desde Setembro do ano passado, que não vou ao cinema. O Museu de Cinema de Düsseldorf está a homenagear a Audrey Hepburn com a exibição de vários filmes dela. Na sala de cinema do Museu "Black Box" assisti hoje à tarde à comédia romântica, "Amor à tarde" produzida e dirigida por Billy Wilder. O argumento ou guião foi escrito por Billy Wilder e I.A.L. Diamond, baseado num romance de Claude Anet.
A maravilhosa Audrey Hepburn é Ariane Chavasse, a filha do detective particular Claude Chavasse, que ouve que um caso de infidelidade, resolvido pelo seu pai, vai terminar em morte, pois o marido ofendido quer matar Frank Flannagan, o milionário americano amante da mulher. Ela consegue avisá-lo, salvando-lhe a vida... e apaixona-se por ele. Como ele é conhecido pelos seus diversos casos amorosos, ela inspira-se nas várias investigações feitas pelo pai para fantasiar uma série de relacionamentos e, assim, sentir-se em igualdade para poder competir com ele e provocar-lhe um certo ciúme. Sem saber, Frank Flannagan contrata o pai de Ariane para averiguar a verdade das afirmações dela.

Kommentare

  1. oi, que saudade... eu sou doida para assistir aos filmes dela... mas aqui no Brasil são muito caro... eu conheci essa atriz atraves da série americana Gossip Gril... mas ainda não consegui ver nada dela :(

    bjs

    AntwortenLöschen
  2. Estes filmes antigos são tão românticos... :)

    Via-os quase sempre nas tardes de cinema da RTP, ao Domingo, quando era miúda, de modo que não sei quantos vi, ao longo dos anos. Fred às tiras e Ginger é que perdi a pachorra, definitivamente!

    Ah e a música, que não sei de quem é, chama-se "Fascinação" em brasileiro e tem um poema fabuloso e em sintonia com a melodia...

    Beijinhos, e viva o bom cinema!

    AntwortenLöschen
  3. Olá Teresa

    Igual à Teté, adorava ver estes filmes e ainda gosto. São românticos e os actores tinham um não-sei-quê que os tornava encantadores. Charme, muito. O cinema era bom.

    Agora sou muito selectiva, há demasiado mediatismo que torna os filmes efémeros. Mas fui ver a Coco recentemente e gostei... relativamente. O final é demasiado apressado.

    Gosto de uma boa construção nos filmes e por isso estes antigos continuam imemoráveis.

    Beijinhos
    Isabel

    p.s. Também vou andar no laréu!!!

    AntwortenLöschen
  4. Ich habe mich auch gefreut, dass wir es endlich einmal wieder geschafft haben, etwas gemeinsam zu unternehmen und ohne Sticheleien auszukommen!
    Alles Gute für Dich! Nach meinem Urlaub (Ende nächster Woche) melde ich mich.

    AntwortenLöschen
  5. aguentou de setembro a julho sem ver um filme? isso foi um teste de resistência, puro masoquismo ou excesso de trabalho? Já não vejo filmes mais antigos há anos (excepção pelo meu metropolis muito mais antigo mesmo), tenho começar a rever alguns...

    AntwortenLöschen
  6. Pena que não fazem filmes assim! Beijo para o bom gosto

    AntwortenLöschen
  7. ... também eu, quando era catraia via tudo o que era filme e passava na TV.
    Concordo com a "Teté": as tiras do Fred...

    Beijos.
    Fátima

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen