Primeiro-ministro italiano não largou o telemóvel

O primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi rompeu por várias vezes o protocolo na cimeira da Nato ao falhar cerimónias oficiais e não cumprimentar convidados por estar a falar ao telemóvel. Uma fonte do gabinete de Berlusconi citada pela Reuters disse que o chefe do Governo italiano estava a tratar de questões da organização: a tentar convencer o primeiro-ministro turco Recep Tayyip Erdogan a aceitar a nomeação do chefe de Governo dinamarquês Anders Fogh Rasmussen para secretário-geral da Nato.
Berlusconi estava ao telefone quando chegou para o segundo dia da cimeira da Nato. Em vez de se dirigir à passadeira vermelha e cumprimentar a chanceler alemã Angela Merkel, continuou a falar ao telemóvel. A chefe de Estado alemã continuou a cumprimentar os restantes líderes de países da Nato e acabou por desistir de Berlusconi e acompanhar os outros participantes na travessia a pé de uma ponte sobre o rio Reno. Aí, a meio da ponte, a comitiva era esperada pelo Presidente francês Nicolas Sarkozy, um encontro encenado que simboliza a reconciliação e a aliança entre a França e a Alemanha após a II Guerra Mundial. Berlusconi, entretanto, ficou do lado alemão do rio, faltou à fotografia de grupo e ao minuto de silêncio em memória dos soldados da Nato.
Uma fonte do gabinete de Berlusconi garantiu à Reuters que “desde que se levantou esta manhã, Berlusconi tem estado em contacto directo com o primeiro-ministro Erdogan” para tentar resolver a questão da sucessão do secretário-geral da Nato.
Já durante a cimeira do G20, em Londres, quando os líderes mundiais tiravam uma fotografia de grupo, Berlusconi terá assustado a rainha Isabel II ao gritar para o Presidente norte-americano “senhor Obama! sou o Berlusconi”. Sobre Obama Berlusconi dissera, após a eleição do Presidente dos EUA, que “é jovem, bonito e bronzeado”.

Kommentare

  1. Este homem é um verdadeiro palhaço e só envergonha a Itália ter um Presidente assim.
    Beijinhos

    AntwortenLöschen

Kommentar veröffentlichen